Operação Red Sparrow by Kdoo Spiller

Operação Red Sparrow | Jennifer Lawrence surge sedutora como espiã em filme arrastado [CRÍTICA do convidado Kdoo Spiller ]

Pedi ao bom amigo Kdoo Spiller, do site Cantina do Mos pra ir no meu lugar na cabine de imprensa de Operação Red Sparrow. E gostei muito da crítica dele ao filme. Segue aí a percepção dele sobre o filme, e visite a Cantina logo em seguida, clicando aqui.

Nos últimos anos, tivemos no cinema tentativas em trazer mulheres fortes no cenário da espionagem, algumas com sucesso (Atômica, com Charlize Theron) e outras nem tanto (Salt, com Angelina Jolie). Agora, chegou a vez de Jennifer Lawrence (Jogos VorazesMãe!) se juntar ao time com Operação Red Sparrow.

Mas, ao contrário de seus antecessores, o filme aqui não se utiliza de cenas de ação mirabolantes para prender a atenção do público, mas sim a sedução. A trama, baseada no livro de Jason Matthews, é extremamente realista ao contar a história de Dominika (Lawrence), uma bailarina russa que é selecionada à revelia para se tornar uma “pardal”: uma espiã altamente treinada, que se utiliza de seu charme e persuasão para obter informações. Depois de um árduo período de aprendizagem, Dominika recebe sua primeira missão: Descobrir o nome do informante russo do agente da CIA Nate Nash (Joel Edgerton). Entretanto, os dois acabam desenvolvendo uma paixão proibida e que acaba comprometendo suas vidas e de outras pessoas.

Assim, o longa é um thriller psicológico altamente sensual, com direito a diversas cenas de nudez – incluindo aí a própria protagonista – e cercado numa nuvem de conspiração constante. E nesses dois quesitos, temos Lawrence entregando, mais uma vez, um excelente trabalho nas telas. Despida de qualquer pudor e com uma atuação dúbia, sua Dominika magnetiza o público e o deixa sem saber quais são seus próximos passos, assim como seus alvos. O filme a apresenta como uma vítima de um sistema cruel, que usa métodos pouco ortodoxos para se manter. E como num jogo de xadrez, a jovem precisa calcular cada um de seus atos se quiser sobreviver nesse mundo na qual foi jogada.

O grande problema aqui é o roteiro, que se arrasta demais em diversos momentos no filme e que entrega personagens secundários extremamente rasos, como a chefe de gabinete vivida por Mary-Louise Parker. Mesmo a química entre o casal principal sofre com tal deficiência, o que pode gerar no público desinteresse pela história.

O diretor Francis Lawrence repete a parceria com Jennifer (os dois trabalharam juntos na saga Jogos Vorazes) e nos traz cenas inspiradíssimas, com planos abertos e que valorizam o cenário e a fotografia de cada take. Seu trabalho na abertura do filme – onde apresenta Dominika no balé Bolshoi – é primorosa, mas em seguida acaba refém de uma salada de plot twists propostas pela trama, comprometendo assim sua performance.

Sensual e realista, Operação Red Sparrow poderia se sair melhor se trouxesse ao público personagens com maior profundidade (exceção aqui à protagonista) e uma história mais dinâmica, sem muitos rodeios. Mesmo com Jennifer Lawrence em mais uma interpretação consistente, o filme acaba criando tensão a todo momento, se arrastando por mais de duas horas de projeção e sem nenhuma entrega satisfatória ao público ao seu final.

Operação Red Sparrow
 chega no dia 1º de março aos cinemas.

By Kdoo Spiller !

Capitã Phasma – Star Wars: Jornada para Os Últimos Jedi

Capitã Phasma – Star Wars: Jornada para Os Últimos Jedi

Eu sou meio suspeito quando se fala sobre Star Wars. Acho que junto com quadrinhos, é a minha nerdice mais antiga, mais apaixonante e é meu único fã-clube. Faço parte do Conselho Jedi SP desde o comecinho em 1999, do CJRJ desde 1997. Como sempre gostei de Guerra nas Estrelas, o retorno dos filmes com a Special Edition foi mega especial. Se não houvesse esta remasterização não teríamos hoje tantas coisas boas, entre elas, Capitã Phasma.

E a Capitã Phasma é uma personagem muito curiosa. Vamos recapitular o que já vimos dela. Uma brevíssima aparição em The Force Awakens, em que ela e nada é a mesma coisa. Em seguida, apanha do Finn em The Last Jedi. Pra muita gente, eu inclusive, é uma personagem com mais fama de “fodona” do que realmente a gente pode conferir nos filmes. O visual dela é um dos mais legais e sua armadura reflete tiros de blaster. Muito legal mesmo. Mas, o que tem mais ? 

Universo Transmídia

Uma das características mais bacanas de Star Wars atualmente é que ela tem um conceito muito forte de transmídia. Ou seja, cinema, animações, livros, quadrinhos e jogos tem suas histórias entrelaçadas, cânones, e o que acontece em um influencia no outro. Tendo como principal guia o cinema, todo as outras mídias são por ela guiadas e direcionadas. Nisso temos coisas muito legais ( algumas até mais legais do que os próprios filmes ), e um universo imenso a ser explorado em torno da linha de acontecimentos principais, com os Skywalker, Rey e cia.

E neste contexto chegou pra mim Capitã Phasma 001. Uma mini-série em 4 partes que será publicada aqui no Brasil em 2 volumes. A HQ conta como a personagem escapou da destruição da Base Starkiller logo depois de fugir do compactador de lixo ao qual foi confinada por Finn e Chewie em O Despertar da Força. 

Ela descobre que havia um suposto espião na base, que teria auxiliado a resistência em seu ataque, e parte imediatamente em seu encalço, que a leva a um planeta alienígena bastante perigoso.

Capitã Phasma vale seu tempo ?

Vale. Mas não é nenhuma obra prima, nenhum graphic novel. É muito bom pra quem é fã de Guerra nas Estrelas e quer acompanhar o universo expandido e, além disso, seja fã da personagem como eu.  Eu gostei muito do que eu li. A roteirista Kelly Thompson procura respeitar a fama da personagem. Respeita sua patente e procura mostrar pra gente que a personagem é “tudo isso” e não apenas mais um Boba Fett. Existe esta brincadeira entre os fãs, de dizer que a personagem é a nova Boba Fett no sentido de que ela tem um visual, tem a fama, mas efetivamente não é mostrado nada e acaba caindo em um fosso… hahahah… comparação bobinha, mas que tem o seu sentido ( se você quiser que tenha ).

O traço é muito bom, tem muito movimento, profundidade e pra mim, o que eu mais gostei até hoje em termos de quadrinhos de Star Wars. O desenhista italiano Marco Checchetto tem personalidade no traço, enquanto faz lembrar dos bons tempos de Jinn Lee sem o excesso de rabiscos. Será que me fiz entender ? hahahahaha Gosto de desenhos sequenciais, sem ter a sensação de estar lendo uma sequencia de pôsteres. Checchetto desenha pra Marvel a algum tempo, já passado por Homem-Aranha, Vingadores e agora com Greg Rucka em Justiceiro. E Andres Mossa habilmente reforça a qualidade do desenho com um colorido cheio de luz e reflexo. Fazer uma armadura cromada em quadrinhos não é uma tarefa fácil.

Se estiver na dúvida, compre. Vale os R$ 8,70 na edição com capa cartonada e você não vai se arrepender. Se não achar na sua cidade, tem no site da Loja Panini.

Abraços do Quadrinheiro Véio.

Carros 3 | Steelbook Bluray Review

Carros 3

Olá Quadrinheiro colecionador !

Caaaaara, quando eu penso nas 3 animações CARROS, logo me vem aquele ronco dos motores e a trilha de aventura e velocidade. Acho que Carros é uma das melhores trilogias infantis da atualidade e curti muito o filme. Aliás, tem até a minha opinião sobre o filme no canal ( assista aqui ) e por isso não entrarei em detalhes sobre o filme em si. Ao invés disso, vamos direto ao assunto deste post que é o steelbook da animação Carros 3, que está espetacular e ainda contém 3 discos. Isso mesmo, 3 discos !! Eu falei sobre o que me empolga sobre este tipo de edição em outro post. Pode ir ler ele aqui, mas retorna depois, hein ?

Conteúdo é Rei !

O steelbook de carros tem 3 discos. Ok, você já sabia e não estou ficando gagá. Mas o que você não sabe é que tem 1 com o filme e alguns extras, outro com o filme em 3D e um terceito disco só de extras. Tem muita coisa, mas o mais legal é o processo de criação do filme.

A caixa leva o fã à sério. Carros 3 é o final de uma trilogia em que o protagonista ( Relâmpago McQueen ) está passando por mais uma transição na vida e podemos assistir como ele lida com isso. Ao mesmo tempo, simboliza e representa a mudança de comportamento que as próprias crianças encontraram a medida que envelheceram assistindo aos filmes. Sempre priorizando o ponto de vista de cada um.

E a caixa ?

A caixa é linda, de metal, firme e com leve relevo. Ela tem um brilho prateado lindo, e com uma preocupação em manter uma continuidade do outro lado. A Cruz que é um dos destaques deste filme segue o Relâmpago enquanto que o vilão ( que nem é vilão, na verdade ), segue em último.

Internamente, a qualidade Cinecolor aparece sempre intacta. Os espaços pros discos estão muito fáceis de tirar, ao mesmo tempo que tem a firmeza de não derrubar o disco, de ele soltar sozinho. Isso é um mega avanço pro país também. Tem as fotos dos personagens mas a gente mal nota já que tem os discos por cima, com artes distintas e bem sinalizadas.

O disco de Extras tem mais de 100 minutos de conteúdo, fora os extras que estão no disco do filme 2D. Tudo em formato Bluray !

Pra não estragar a linda arte da latinha do steelbook, o explicativo sobre os extras vem externamente. Confere aí:

Estes extras são incríveis. Este curtinha de 6 minutos, LOU, é uma das coisas mais legais em muito tempo !

Áudio em versões 7.1 DTS e 5.1 Dolby Digital… pra sons de carros, é tudo que o fã gosta.

Agora, vou terminar de ver meus extras aqui e se for seu desejo, ou estivesse em dúvidas que sobre o que eu falei, me escreva !

Abraços do Quadrinheiro Véio !

Piratas do Caribe: A Vingança de Salazar – Steelbook

Piratas do Caribe: A Vingança de Salazar

Olá, Quadrinheiro.

Eu sempre gostei de colecionar coisas. Acho que é uma forma de manter a proximidade com paixões enormes. E dentre umas das minhas grandes paixões está o cinema. Colecionar memorabilias e brinquedos é algo que tenho de monte, mas o que pode ser mais legal do que colecionar o próprio filme ?

Sei que muitas pessoas não entendem mais os motivos de colecionar filmes hoje em dia. Tem mais e mais filmes sendo lançados. Tem canais streaming. E tem os que preferem a ilegalidade do torrent. Ou seja, ter acesso aos filmes que a gente mais gosta não é mais como antigamente. A gente tinha que esperar passar na TV e gravar na fita VHS enquanto passasse na TV. Ou isso, ou alugar a fita na locadora.

Com a internet, este acesso ficou mais direto e todos tem acesso quase imediato aos filmes que desejam assistir. Por este motivo, ter os DVD’s e/ou Blu-rays das produções que mais gostamos se tornou algo muito mais ligado à satisfação emocional de saber que tem o filme na ponta dos dedos, além do que eu mais gosto nestes casos: Os Extras !

O box de metal.

Chegou em minhas mãos a edição steelbook do filme Piratas do Caribe: A Vingança de Salazar. E preciso te dizer que está muito linda. Com uma arte com efeito metalizado e relevo na caveira, a percepção que eu tive é que o crânio até respira. Pra um colecionador, estas caixas de metal são um objeto de desejo pela sua beleza, e também pela exclusividade. Sempre são poucas unidades, mas maravilhosamente completas. As steelbook edition são o formato top quando o assunto é filme doméstico.

A parte de dentro é linda também. Tem uma arte que fica embaixo do plástico que segura os discos, sendo que cada um dos discos ( 1 versão básica e outro com a versão em 3D ) tem uma arte diferente. Um cuidado que o colecionador valoriza muito, e é de simples manuseio quando se deseja retirar os discos pra assistir.

E os Extras ?

Os extras são sempre uma grande atração. Tem de tudo. Tem cenas excluídas, erros de gravação, entrevista com diretor, comentários em áudio sobre a produção do mesmo entre várias coisas. Veja aí o que tem de extras e me diga se estou mentindo:

Até eu fechar este post, estava na metade dos extras. É muita coisa ! E eu comecei pelos extras… hehehe… mas sabe qual é a minha desculpa ? Eu gosto de ver os extras, ver o filme e depois, rever os extras ! 

O áudio vem em 7.1 DTS -HD MA em inglês, e 5.1 Dolby Digital nos outros idiomas. Com uma animação belíssima de menu, o steelbook de Piratas do Caribe: A Vingança de Salazar chega fazendo valer o preço, mesmo em ano de grana curta, de R$ 99,00 na maioria das lojas.

Eu assisti ao filme na pré-estréia eu lembro de ter saído muito feliz do cinema. É um filme que resgata o fã dos Piratas do Caribe e ainda homenageia o primeiro filme. Aliás, pode até ver meu vídeo no canal onde exponho o que achei do filme neste link. Material comercializado no Brasil pela Cinecolor, em conjunto com a Disney.

Abraços do Quadrinheiro Véio !

Veja outros posts !

A Vida de Luke Skywalker – Resenha do Véio

Uma Nova Esperança: A Vida de Luke Skywalker

Quando eu peguei estes dois livros pra ler, tanto A Origem e a Lenda de Obi-Wan Kenobi, quanto A Vida de Luke Skywalker, eu pensei que por serem Legends, poderiam ser leituras meio “perdidas“. Fico feliz em te dizer que não foi. São leituras muito prazerosas e extremamente interessantes. É uma pena, é muito lamentável que tanta coisa boa se tornou “não oficial“, muito se perdeu em termos de boas histórias e boas origens com a conversão da Lucasfilms para a Disney. A nossa sorte é que mesmo não sendo mais cânone, ainda podemos ter acesso às mesmas, já que a Disney teve o bom senso ( e a inteligência comercial, claro ) de manter as publicações ainda disponíveis pra que possamos ainda assim ter acesso à uma época mais mágica.

É muito natural a mudança de estilo literário com o passar dos tempos. As épocas e as pessoas evoluem, mudam. E nisso, os estilos de redação, os objetivos de criação, e até os formatos de apresentação das histórias também mudam. Assim como o cinema, muito do fantástico torna-se exagerado. A imaginação das pessoas torna-se limitada e não se permitem aceitar muitas coisas que eram aceitas e divertiam a não muitos anos atrás.

Vamos ao livro

A Vida de Luke Skywalker

Este livro que estou resenhando aqui neste post de hoje é um caso curioso. Embora seja um livro relativamente recente, 2008, Uma Nova Esperança: A vida de Luke Skywalker carrega uma “levada” adequada ao começo dos anos 90. Ele consegue fazer com que o fã de Star Wars dos anos 80 consiga gostar da forma com que o herói é abordado. Ao mesmo tempo, atualiza com os fatos da trilogia prequel sem se aprofundar, e nos leva a momentos da vida do Luke que a gente não conhecia, mas que adoraria conhecer.

Ele entra entre os filmes, esmiuça a mente do herói clássico tão fielmente criado à risca bebendo da fonte de Campbell, que é possível realmente aceitar a busca do jovem Skywalker por mais informações sobre seu pai após a sua morte. Porém, pra dar embasamento à sua trajetória e escolhas, o autor soube dosar momentos do passado, pensamentos e a formação do caráter do personagem, para dar fundamento em sua busca ao mesmo tempo que precisa até mesmo enfrentar sua irmã, que não nutre a mesma curiosidade que Luke, enquanto ele fielmente pesquisa seu passado, o passado de seu pai, e dos Jedi.

De dentro do novo cruzador da nascente Nova República, batizado como “Nova Esperança“, Luke faz toda a sua pesquisa, relembra, reflete. Este livro tem muitas referencias a muitos outros livros também. Ele é todo bem amarrado. Se considerar a quantidade de histórias anteriormente contadas, isso foi muito necessário e inteligente. Este livro é de 2007, mas a

Universo dos Livros relançou agora em 2017. E sou muito grato. 

Já li muitos livros de Star Wars em inglês, principalmente no final dos anos 90, já que eram poucos traduzidos pra cá. E te digo, não é uma questão (apenas) de preguiça. É mais fluído ler na sua língua mãe, mesmo que haja perdas na tradução. E esta ficou muito boa.

De quem é o livro ?

Da mesma forma que o livro que resenhei anteriormente, sobre a Vida de Obi-Wan Kenobi ( leia resenha aqui ), Ryder Windham mostra que pesquisou, que é fã e tem fluência na sua sequencia de história. Ele escreveu mais de 60 livros de Star Wars, incluindo o best seller Star Wars: The Ultimate Visual Guide. Como trabalha com Star Wars diretamente desde 1983, o cara tem um conhecimento enorme sobre as linhas do tempo do universo criado por George Lucas e com isso, mantém uma consistência em sua escrita que se fez conforme procurava sempre manter em mente as relações entre os personagens em diversos momentos. Assim, raramente acontecia uma incoerência em suas histórias.

Uma Nova Esperança: A Vida de Luke Skywalker é um livro que eu gostei muito. Não tenho cacife pra dizer se é melhor ou pior do que o livro do Obi-Wan. Apenas posso dizer que é diferente e não tem aqueles momento que mostram o personagem no meio do filme. Não é um livro biográfico como o outro, mas é um livro muito, muito divertido. Ainda me falta ler o terceiro, a Ascensão e Queda de Darth Vader. Mas espero ter acesso a ele logo, logo.

Recomendo !

Abraços do Quadrinheiro Véio !

Conheça o canal do YouTube: YT.com/oquadrinheiroveio

NOVO VéioCast #19: Rogue One

Fala aí !!!

Chegou o NOVO VéioCast que foi reformulado. Infelizmente o Fábio Rennó não está mais conosco, mas após repensar muito, convidei três grandes amigos nerds com excelentes percepções sobre nossas paixões NERDs e acho que o resultado foi muito bom.

Conheça: Marcelo Chewie, presidente do CJSP e grande fã do Super-homem,  Roberto Fabrício – um dos fundadores do CJSP, fã de heróis e jogos de tabuleiros e Danilo Gonçalves do canal Mestres do Universo que também tem nerdice na veia !

E no VéioCast da semana, a gente comenta tudo que podemos sobre Rogue One, o novo spin off de Star Wars. Maravilhoso.

Pode fazer o download do audio aqui !

Espero que você goste do podcast, que comente, compartilhe e participe. As perguntas dos comentários podem ser respondidas ao vivo no episódio seguinte !

E você pode ser um dos nossos padrinhos também: https://www.padrim.com.br/oquadrinheiroveio

Espero que goste, comente, compartilhe e dê seu pitaco !

Abraços do Quadrinheiro Véio !

Batman 1989 – Quadrinização Oficial do Filme

Batman 1989 – Adaptação Oficial do Filme em Quadrinhos

img_6214O ano é 1989. Eu estava começando a me descobrir “gente” e a andar de ônibus circular sozinho. No auge dos meus 13 anos, este é um dos anos mais marcantes da minha vida. Não à toa, o primeiro filme decente do Batman foi produzido e lançado, dirigido pelo cult Tim Burton.

Mas não é este o assunto deste post, e sim a sua quadrinização oficial. Assim que o filme saiu, as bancas receberam a edição em capa especial, da adaptação oficial do filme Batman ! Este filme foi marcante de muitas formas, não apenas por apresentar o Batman mais soturno, sombrio, psicótico e gótico ( se é do Burton, é gótico ), mas por iniciar uma era de bons filmes de super-heróis após Superman II. E eu ignoro na cara dura os filmes III e IV de Superman porque… bem… razões óbvias, né ?

img_6213Quem viveu os anos 80 sabe que foi uma era mágica pro cinema mundial. Uma época marcante, com filmes icônicos que até hoje são base pra remakes que falham miseravelmente. A meu ver, falham porque não se é possível apenas reproduzir uma história. Quando uma história é contada na época que é produzida ela tem toda uma base temporal, que faz sentido na sua época.

Se este filme é re-feito vários anos depois, se buscando uma nostalgia, fatalmente existe o risco totalmente potencial de ele não conseguir fazer sentido pra uma geração diferente. Então, como a geração no poder hoje é a geração que era criança/adolescente nos anos 80, esta é a sua referencia de diversão. Vide Stranger Things, uma série certeira, muito bem feita e uma idéia original, temporalmente localizada no começo dos anos 80. O genial de Stranger Things está nisso. Ela bebe da fonte da nossa memória infantil, mas cria uma história totalmente nova.

Batman Em Quadrinhos

img_6203É até engraçado que o título da revista seja este, Batman em Quadrinhos. Afinal, ele nasceu nos quadrinhos. Mas é porque o nome do filme era simplesmente Batman. Não tinha subtítulo e nem os brasileiros colocaram, como era hábito da época. Esta história segue tão fielmente o filme, que raro são os quadros em que a fotografia não é exatamente a mesma vista no filme.

img_6207Eu diria até que, provavelmente, esta HQ nasceu do próprio history board original do filme. São raríssimas as diferenças nas falas. E não tem mudança nenhuma, nenhuma adaptação do roteiro. Ela segue fiel ao filme, e isso é muito raro hoje em dia. Aliás, esta é a grande diferença desta revista em relação às adaptações que vieram depois. Na humilde opinião deste blogueiro, adaptações precisam ser fieis aos roteiros originais. Imagino que isso deve ser complicado e chato pra um artista, já que ele não precisa criar nada, apenas ter o trabalho de fazer uma conversão de formato de mídia. E como era comum na época, a revista vinha com um poster. Que naturalmente estava exposto na parede do meu quarto. E mais naturalmente ainda, infelizmente, não o tenho mais.

Artistas do Batman

img_6218Como o roteiro já estava pronto, apenas coube ao Dennis O’Neill converter o roteiro. E esta foi a sabedoria dele. Acho que até hoje esta HQ é lembrada como a melhor adaptação de filme de super-herói pra quadrinhos justamente por isso.

img_6211E o desenho de Jerry Ordway precisa levar muito crédito. Ele teve todo o cuidado de adaptar as cenas fielmente so filme, as roupas, os enquadramentos e, mais do que isso, fazer os rostos dos atores no personagens. Mesmo eu não achando que o Keaton tem cara de Bruce, ele está imortalizado nesta HQ. Estes artistas já eram habituados ao Batman nesta época, e sentiam a mudança de comportamento dele, pós crise e pós Dark Knight Returns.

img_6217Steve Oliff colore a história, em uma época do começo da transição das cores nas HQs. É possível perceber o início do uso do degrade em alguns momentos, então a pintura lembra mais o que temos hoje, menos chapada, com mais profundidade, e seguindo a paleta gótica lavada do filme. É uma revista que merece ser lida e guardada. A minha já está até amarelada. As fotos que ilustram esta resenha são da minha própria revista. Role toda a página e veja alguns quadros que eu selecionei pra você conferir um pouco.

Se você é um fã do Morcego, gostou do filme de 1989 e acha que o Jack Nicholson é um grande Coringa, ter esta revista na sua coleção é quase obrigatório. Exatamente todos os meus quesitos atendidos !

Abraços do Quadrinheiro Véio

Assine o canal: www.youtube.com/oquadrinheiroveio

img_6209

img_6210

img_6216

img_6215

img_6212

img_6208

img_6206

img_6205

img_6204

VéioCast #18 – Ouve aí, seu Nerd !

Fala aí !!!

E no VéioCast da semana, muitas nerdices e é o útimo antes da mudança. O VéioCast vai tomar um rumo de algumas mudanças, mas vai continuar com a mesma pegada nerd. Acho que você vai gostar !

Você pode fazer o download aqui: VéioCast #18

E você pode ser um dos nossos padrinhos também: https://www.padrim.com.br/oquadrinheiroveio

Espero que goste, comente, compartilhe e dê seu pitaco !

Abraços do Quadrinheiro Véio !

 

Animais Fantásticos e onde voltamos a habitar

Animais Fantásticos

Olá, Quadrinheiro !!

Eu gostei muito do novo filme de do Universo de Harry Potter. Entretanto eu não sou o maior dos fãs do bruxinho de óculos redondo. Mas meu amigo Danilo Gonçalves é ! Por isso, publico aqui um texto dele, emocionante, sobre o retorno da magia ao cinema. 

Animais Fantásticos e onde voltamos a habitar!

fantastic-beasts-and-where-to-find-themDurante anos uma geração se sentiu vazia, o fim de uma era poderíamos dizer assim, ao sairmos do cinema em 2011 uma era chegava ao fim. Harry Potter e as Relíquias da Morte Pt. 2 marcava o último dia que uma geração que cresceu ao lado desse universo iria ir ao cinema ver um filme da franquia. Muitas lágrimas me desceram dos olhos aquele dia. Mal sabia eu… mal sabia eu!

Animais FantasticosAlguns anos depois, um anúncio abalaria as nossas estruturas: Teríamos mais! Animais Fantásticos e Onde Habitam seria um novo filme do universo Harry Potter. Com base no livro era difícil imaginar uma trama para esse filme. Seria apenas uma história sobre os fantásticos seres daquele universo? Mais e mais anúncios foram elevando e muito a hype para o filme: seriam cinco, e não apenas um único filme; Teríamos a participação de diversos personagens importantes; o ano em que a história se passava coincidia com a ascenção de Grindelwald ao poder; e, por fim a constatação: Veríamos no cinema a história da grande guerra contra o segundo maior bruxo das trevas de todos os tempos e o icônico duelo dele contra Dumbledore!

Partiu Cinema !

Enfim chegou o dia, pela oitava vez eu entrava no cinema para ver um filme da franquia. Logo da Warner subindo entre a fumaça e a trilha sonora tão amada e conhecida, mais lágrimas… Por que não? Só quem é fã de verdade de um universo entende. Você fica ansioso, arrepiado quando começa. Poxa… Eu amo ser fã, amo de verdade! Mas afinal, “Animais Fantásticos” honra o universo Harry Potter? A resposta e simples, ele não só honra, ele eleva esse universo a outros patamares!

O filme é lindo visualmente, a criação de universo é fantasticamente planejada. A ambientação em uma Nova York dos anos 20 é perfeita. E os personagens ? aahhhh os personagens, meu amigo… Cada um deles é absolutamente incrível, cada um deles é absolutamente apaixonante!

fantastic-beasts-and-where-to-find-them-image-movie-2Eddie Redmayne cria um Scamander ao mesmo tempo tímido e deslumbrado, que se transforma quando entra na sua maleta, mostrando exatamente que ali, entre aquelas criaturas ele se sente em casa. A jornada do personagem e bem traçada e não se preocupa em explicar suas origens. Ela pincela o passado do personagem e deixa claro que o que importa é o futuro. E o filme estabelece de forma simples e sem parecer forçada tudo que precisa para o restante do universo!

Todo o trio principal é bem desenvolvido e traz muito mais do que os estereótipos do cinema pedem. Ninguém está ali por acaso, o roteiro de J. K. Rowling se preocupa em dar a devida importância a cada personagem. Agora vamos falar um pouco da trama do filme, VÃO TER ALGUNS SPOILERS, então se você não assistiu sugiro que pare por aqui!

1926

Toda trama do filme é costurada dentro de uma ameaça que pode colocar o mundo bruxo em perigo, J. K Rowling se preocupa até em mostrar como o mundo bruxo era antiquado e preconceituoso na época. Bruxos proibidos de se casar ou se relacionar com trouxas, ou, não-magi, (nome americano para os não bruxos). Um ligeiro preconceito ronda a sociedade bruxa, como rondava o mundo naquela época, os bruxos evoluíram, essa é a mensagem de J.K! E mais um ponto para o roteiro de J.K, ela não se preocupa em enrolação, em meia hora, ou menos a premissa do filme é estabelecida. O filme gasta tempo explanando esse novo universo mas faz de uma forma fluida, sem peso, e você a cada minuto se envolve mais com a trama!

Seguimos a aventura de Scamander para ter de volta suas criaturas enquanto por traz algo maior acontece, o fanatismo violento, ainda resquícios da inquisição nos apresenta um grupo que canta sobre a destruição dos bruxos. Mais uma vez J.K nos mostra a sua preocupação em ampliar muito, mais muito seu universo. Enquanto acompanhamos Newt em sua aventura vamos nos deslumbrando com essa nova (para nós) sociedade mágica, e é lindo de se ver! Enquanto passamos a entender tudo que se desenrola por traz, com traições e cada vez ameaças maiores, Animais fantásticos é um filme muito mais sombrio do que eu esperava, e eu gostei muito disso.

captura-de-tela-2016-11-19-as-09-18-31

Vilão ?

Chegamos ao ápice do filme, que talvez seja o terror de todo roteirista, como finalizar, como concluir de forma magistral um filme tão belo e intenso? J.K faz isso com maestria, o fim ao mesmo tempo que completa uma boa história estabelece o futuro desse universo, e ai chegamos ao primeiro e preocupante problema desse Filme, Jhonny Depp!

Sou fã dos trabalhos dele, mas desde que foi anunciado como Grindelwald tive minhas preocupações. Não conseguia visualizá-lo como o personagem, e após assistir ao filme e vê-lo, continuo com essa sensação. Desejo que a atuação dele salve o personagem, por que o visual realmente me incomoda. Ou talvez eu só precise me acostumar, veremos!

E o filme acaba. Saí do cinema sem palavras. Eu e minha namorada não tínhamos palavras para descrever o que sentíamos. A única coisa que eu sentia era: “O mundo da magia está de volta”. A ansiedade já é gigantesca. A espera para o próximo é torturante! Mas há também uma paz que me mostra que teremos mais desse universo pelos próximos cinco anos pelo menos. Se você como eu é fã dessa saga, você sabe o que estou sentindo. Você sentiu a mesma emoção ao sair do cinema, e eu lhe digo mais, estamos juntos nessa espera. Obrigado a J. K Rowling por esse universo que me acompanhou dos 10 aos 21 anos, e vai continuar por mais alguns, nenhuma dessas palavras descrevem o que senti ao entrar ontem no cinema. Ou ao ler “A Criança Amaldiçoada”.

Nenhuma dessas palavras expressa a gratidão de ter de volta o universo de Harry Potter, obrigado!

Danilo Gonçalves, 26 anos, designer e fundador do Canal “Os Mestres do Universo”

Facebook: https://www.facebook.com/canalosmestresdouniverso/

YouTube: http://www.youtube.com/c/OsMestresdoUniversomdu

VéioCast #16: Star Trek, Bienal do Livro, Séries e mais

VéioCast #16: Star Trek, Bienal do Livro, Séries e mais

Olá, Quadrinheiro.

No VéioCast #16 desta semana tem muita coisa legal, mas o mais legal é o próprio VéioCast ! 

Ficamos umas semanas sem gravar, mas agora retomamos a nossa programação normal !

Esta semana, Star Trek, Bienal do Livro, DC Comics, Séries, Cinema, Dr. who, Power Rangers, Gene Wilder e muito mais da nerdosfera !

Abraços do Quadrinheiro Véio !