A Saga de Thanos | vol.1

A Saga de Thanos

Olá Quadrinheiro.

Com o “fechamento” do MCU com o filme Vingadores Ultimato, acredito que muita gente tenha ficado ainda mais curiosa sobre o “tal” Thanos. Afinal, que vilão é este ? Temos acesso a ele primeiro durante sua ascensão e glória em Vingadores Guerra Infinita ( referência direta à saga homônima nos quadrinhos, mas que pouco te a ver com a versão cinematográfica ), e depois vemos sua queda e derrota em Avengers Endgame. Aliás, tem vídeo pacas sobre isso no canal.

Depois de alguns lançamentos, inclusive um BOX contendo 3 edições de luxo – CRUZADA INFINITA – GUERRA INFINITA – DESAFIO INFINITO, chega aos leitores A SAGA DE THANOS – Volume 1, com o surgimento das primeiras histórias do Titã bem antes dele encontrar as jóias da alma, que depois ele viria a rebatizar como Jóias do Infinito.

“Him”

Este primeiro volume se destaca ainda mais porque ele realmente te prepara, te traz edições clássicas dos anos 70, em que o Quarteto Fantástico encontra com a Coméia enquanto esta cria o “Ser Supremo” e precisa da ajuda de Alícia Masters, namorada do Coisa, para conseguir chegar perto “dele”, já que ele brilhava muito e poderia cegar um humano comum. A SAGA DE THANOS reune a sequencia correta de leitura, partindo de Fantastic Four 66-67, Thor 165-166, Marvel Premiere 1-2, a mini-série Warlock 1-8, Incredible Hulk 176-178, Iron Man 55 e Captain Marvel 25-27. Fala sério, é muita coisa boa junta !

Eu gosto deste momento, quando grandes personagens nascem e tem complexidade filosófica e teológica complexa. Traz aprendizado e reflexão. Hoje em dia, pouco do que leio me faz pensar como os quadrinhos me faziam nesta época. Atribuo grande parte do meu “eu” questionador e pensante, curioso e estudioso, ao que os quadrinhos me apresentaram. Em sua maioria no que foi publicado durante os anos 70 e 80. Tudo era assim ? Não. Mas a essência da maioria continha um nível de profundidade fascinante. Sou grato a isso.

Adam Warlock surge nestas páginas desde sua concepção. Seu momento de chegada à terra após encontro do o Alto Evolucionário que foi quem deu a ele sua jóia esmeralda, ainda não conhecida como jóia da alma, e que viria a ser a primeira jóia do infinito conquistada por Thanos anos depois ao vencer o Intermediário em um estratagema digno de um trapaceiro de primeira, nos domínios do Lorde Caos e Mestre Ordem. Ao receber a pedra, Adam tem acesso ao seu verdadeiro “EU”. E ao vir pra Terra sem memória recebe o nome de Adam Warlock.

Se conhece a Marvel apenas nos cinemas e se questiona “Como este tal Warlock pode ser tão importante nas HQ’s de Thanos e não aparecer nos filmes?“, saiba que ele foi citado em dois momentos. Uma delas em Thor 2 e em Guardiões da Galáxia 2. Mas apenas seu casulo na cena pós-créditos. Aliás e inclusive, ele é nomeado como Adam por Ayesha, líder dos Soberanos como o “ser” que ela está criando para derrotar os Guardiões. Isso deixou os fãs de Thanos das HQ’s apreensivos porque na saga original das jóias do infinito ele tem papel central. Muito acima dos Vingadores. Aliás, ele apenas usa os Vingadores.

E no cinema, o foco foi na turma do Tony Stark. Não haveria espaço para um personagem tão forte. A adaptação dos cinemas é linda e eu adoro. Mas é apenas baseada em fatos dos quadrinhos, sendo muito, muito diferente do original. E não vejo problema algum nisso. Quem sabe ele surge como inimigo em Guardiões 3, ou em algum novo filme do MCU na fase 4 ? Eu sei que eu quero !

A SAGA DE THANOS volume 1 traz muito mais do que apenas a primeira aparição do personagem em Iron Man #55 em fevereiro de 1973, mas o que antecedeu seu surgimento, o nascimento de Drax, e o começo da personalidade do vilão. Em seguida, ele retorna nas páginas de Captain Marvel de maio de 1973, já mais próximo do que iremos conhecer. Este primeiro volume serve pra apresentar o personagem. Ele apresenta Adam Warlock, contextualiza ambos e no volume 2, parte para a primeira grande saga do Titã roxo.

Lee, Thomas, Starlin

Temos o destaque da criação de Thanos nas mãos de Jim Starlin que na época escrevia e desenhava o Homem de Ferro. Mas esta edição encadernada A SAGA DE THANOS marca mais por ter muitas histórias de Stan Lee com Jack Kirby. Principalmente a criação de Adam Warlock. Seu começo em Fantastic Four #66, ainda como “ELE” e depois em Marvel Premiere #1, como Adam Warlock. Esta já nas mãos de Roy Thomas que desenvolveu o personagem até Jim Starlin colocar Thanos no meio e partir pro que viria a ser as Sagas do Infinito. 

 A Saga de Thanos vol 1 reune muitas revistas e por isso, diversos desenhistas. Além de Kirby e Starlin, encontre Gil Kane, Sal Buscema, Tom Sutton, Bob Brown e Herb Trimpe ( ele mesmo, o primeiro a desenhar o Wolverine em Hulk #180, duas edições depois ). É uma coleção de traços típicos dos anos 70, com riqueza narrativa com muitos textos e pensamentos. E além de Lee, Thomas e Starlin, também roteirizam Mike Friedrich, Ron Goulart, Gerry Conway e Tony Isabella.

Ao final da edição, uma pequena ficha biográfica de cada um deles fecha o volume de 448 páginas que a Editora Panini trouxe. E se você estiver interessado, encontre na Loja Panini ( aqui ).

Se recomendo ?

Sim, recomendo demais A SAGA DE THANOS. Mesmo que eu já tenha lido alguma destas histórias que saíram pela Abril, tê-las reunidas desta forma, com qualidade e carinho e com um preço que eu realmente acho que compensa, faz valer o investimento. Acho que um fã de quadrinhos, mesmo os que vieram por causa do cinema, merecem se dar um presente destes. Qualidade de uma época de ouro, de imaginação fértil e ainda pré-comercial. Ainda sendo direcionada pelos criativos e não pela contabilidade da editora.

Abraços do Quadrinheiro Véio !

CCXP inicia hoje a venda de ingressos para sua 6ª edição

CCXP inicia hoje a venda de ingressos para sua 6ª edição

Primeiro lote estará disponível no site do festival a partir das 20h. Os ingressos de quinta e sexta permanecem com os mesmos valores de 2018

Contagem regressiva para o maior festival de cultura pop do planeta. Começa hoje (terça-feira, 9), às 20h, a venda do primeiro lote de ingressos da CCXP, que acontecerá entre 5 e 8 de dezembro, no São Paulo Expo. Os fãs que adquirirem as entradas com antecedência poderão garantir menores valores. Os preços para os dias mais baratos – quinta e sexta-feira – permanecem os mesmos de 2018: R$ 90,00 (meia-entrada) e R$ 180,00 (inteira). Também será possível comprar o ingresso social, a partir de R$ 110 – para quem levar um livro em bom estado para doação. Os ingressos estarão disponíveis pelo site do evento (www.ccxp.com.br).

Além dos ingressos convencionais, também começam as vendas do pacote Epic Experience que custará R$ 1.300,00 no primeiro lote, sem opção de meia-entrada e ingresso social. A credencial dá direito a participar da Spoiler Night, no dia 04 de dezembro, a entrar uma hora mais cedo em todos os dias do festival, a uma foto ou um autógrafo com um dos artistas convidados, além de um kit especial com camiseta, pin, cordão e pôster oficial do festival, assim como descontos nas  lojas Omelete Store, Mundo Geek, Harry Potter, Oficial CCXP e Chiaroscuro Studios.

Haverá ainda a venda do pacote Full Experience, que garante os mesmos benefícios do Epic, além de entrada VIP, acesso ao VIP Lounge com alimentação e serviço de concierge, estacionamento VIP, entrada exclusiva no Auditório Cinemark XD com lugar reservado, quatro colecionáveis exclusivos da Iron Studios, sacola exclusiva, um pôster oficial autografado e uma foto e um autógrafo com quatro dos artistas convidados. As entradas custam R$ 8.000,00, sem meia-entrada e ingresso social.

A cada ano que passa a gente consegue fazer uma CCXP com experiências ainda mais surpreendentes, que vão desde encontros com astros e estrelas de Hollywood até palestras com conteúdos relevantes relacionados ao mercado de cultura pop. São momentos inesquecíveis, tanto para o público quanto para os convidados! Em 2018, tivemos sold out no sábado e no domingo, além dos ingressos Full Experience que esgotaram logo nos primeiros dias. Esperamos repetir o sucesso este ano”, conta Pierre Mantovani, CEO da Omelete Company.

Os profissionais da indústria do entretenimento também poderão adquirir suas entradas para o Unlock CCXP, que teve seus ingressos esgotados em 2018. O evento acontece nos dias 3 e 4 de dezembro e reúne os maiores nomes do mercado para dois dias de palestras, painéis e trocas de experiências. As entradas também estarão disponíveis no site da CCXP, por R$ 1.800,00 no primeiro lote.

Em sua última edição, a CCXP recebeu 262 mil visitantes – mantendo o posto de maior festival de cultura pop do planeta. O primeiro lote será vendido até o dia 30 de abril. A venda do segundo lote acontece entre 1º de maio e 31 de julho, enquanto o terceiro e último lote será vendido entre 1º de agosto e 4 de dezembro. Após 4 de dezembro, os ingressos remanescentes serão vendidos na bilheteria do festival com novo valor, que não é considerado um novo lote.

Serviço CCXP

1º lote – a partir das 20h, de 9 de abril até 30 de abril

Quinta-feira: R$ 180,00 (inteira), R$ 90,00 (meia) e R$ 110,00 (ingresso social).
Sexta-feira: R$ 240,00 (inteira), R$ 120,00 (meia) e R$ 140,00 (ingresso social).
Sábado: R$ 360,00 (inteira), R$ 180,00 (meia) e R$ 200,00 (ingresso social).
Domingo: R$ 360,00 (inteira), R$ 180,00 (meia) e R$ 200,00 (ingresso social).
4 dias: R$ 960,00 (inteira), R$ 480,00 (meia) e R$ 540,00 (ingresso social)
Epic: R$ 1.300,00
Full: R$ 8.000,00
Unlock (evento voltado para profissionais do mercado de entretenimento): R$ 1.800,00

2º lote – de 1º de maio até 31 de julho
Quinta-feira: R$ 200,00 (inteira), R$ 100,00 (meia) e R$ 120,00 (ingresso social).

Sexta-feira: R$ 260,00 (inteira), R$ 130,00 (meia) e R$ 150,00 (ingresso social).
Sábado: R$ 400,00 (inteira), R$ 200,00 (meia) e R$ 220,00 (ingresso social).
Domingo: R$ 400,00 (inteira), R$ 200,00 (meia) e R$ 220,00 (ingresso social).
4 dias: R$ 1.060,00 (inteira), R$ 530,00 (meia) e R$ 590,00 (ingresso social)
Epic: R$ 1.400,00
Full: R$ 8.000,00
Unlock (evento voltado para profissionais do mercado de entretenimento): R$ 1.900,00

3º lote – de 1º de agosto até 4 de dezembro
Quinta-feira: R$ 240,00 (inteira), R$ 120,00 (meia) e R$ 140,00 (ingresso social).

Sexta-feira: R$ 300,00 (inteira), R$ 150,00 (meia) e R$ 170,00 (ingresso social).
Sábado: R$ 440,00 (inteira), R$ 220,00 (meia) e R$ 240,00 (ingresso social).
Domingo: R$ 440,00 (inteira), R$ 220,00 (meia) e R$ 240,00 (ingresso social).
4 dias: R$ 1.180,00 (inteira), R$ 590,00 (meia) e R$ 650,00 (ingresso social)
Epic: R$ 1.500,00
Full: R$ 8.000,00
Unlock (evento voltado para profissionais do mercado de entretenimento): R$ 2.000,00

CCXP19

Datas: de 5 a 8 de dezembro de 2019
Local: São Paulo Expo (Rodovia dos Imigrantes, km 1,5, Água Funda, São Paulo – SP

Abraços do Quadrinheiro Véio

Orphan Black – Helsinque by MeepleBR

Orphan Black – Helsinque

Olá Quadrinheiro !

Chegou em minhas mãos um lançamento muito legal em nosso país, que também marca a estréia da editora de boardgames Meeple BR no mercado de quadrinhos do Brasil. Orphan Black: Helsinque é um lançamento de respeito pra uma editora que já tem grandes jogos de sucesso em seu catálogo. Sou suspeito: Adoro jogos de tabuleiro e já gostava da Meeple. Mas vamos falar de Helsinque !

Orphan Black é uma série original Netflix que aborda clones ! E com o objetivo de ampliar mais o universo da série, em 2016 pela IDW foram lançadas algumas séries de quadrinhos e Helsinque é uma delas. Basicamente uma prequel que abre um pouco mais sobre a corporação secreta do projeto Ledas, que cria clones.

HELSINQUE

Nesta primeira edição, conhecemos Veera Suominem. Uma menina de rosto marcado, que tem pesadelos e usa drogas pra se manter acordada. De repente, ela descobre que está sendo observada pelo tio e nota algo estranho. Em seguida, foge e descobre que existe uma menina em uma cidade próxima que é exatamente como ela. Juntas elas partem pela Europa procurando mais respostas, encontram mais clones e perguntas. Um mote bem interessante. Adoro mistério científico misturado com conspirações secretas. 

A história é competente e tem uma narrativa legal. Acreditamos e nos inserimos no contexto e é bacana perceber as personalidades díspares das clones, e a forma como enxergam o “problema”. E a total falta de clareza sobre a tal organização do projeto Ledas também aumenta a curiosidade enquanto se acompanha a leitura.

Autores

Orphan Black: Helsinque é um arco completo e este compilado junta as 5 edições. Escrita por Graeme Mason e John Fawcett, também autores da série de TV, em parceria com Heli Kennedy. Acho que ainda poderiam ter diálogos mais bem pensados, mas gostei do que li. E também a narrativa escrita não me pareceu algo em que os escritores estivessem muito seguros ao fazer. A publicação reune Orphan Black: Helsinki 1 a 5, sendo que a numero 1 foi desenhada por Alan Quah e preciso dizer que o traço dele me incomoda demais. Principalmente os rostos. Achei muito amador. Um traço sem constância, com expressões que não me passaram segurança e nem emoção. É um desenhista que já fez muitos quadrinhos baseados em vídeo-games. Mas a partir da edição 2 até a 5 deste compilado, Wayne Nichols e Fico Ossio assumem a arte e as expressões e quadros melhoram visivelmente. Você percebe as emoções dos personagens, algo que no caso de um quadrinho de drama é essencial.

A edição, adaptação e letras são da super querida Germana Viana, artista brasileira de mão cheia, da qual já falei aqui no sincero P.O.V – Point of View. Traduzido por Maria do Carmo Zanini e revisado por Thais Aux.

Recomendo a leitura. Mesmo pra quem não conhece a série, é um quadrinho competente e marca com sucesso esta estréia da Meeple BR nos quadrinhos no Brasil. Ótima escolha, mal posso esperar pra ver o que mais vem por aí pela editora.

Abraços do Quadrinheiro Véio !

MIS prorroga exposição Quadrinhos

MIS prorroga exposição Quadrinhos 

O Museu da Imagem e do Som – instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo – vai prorrogar a exposição Quadrinhos. Devido ao sucesso de público e a inúmeros pedidos a mostra, que terminaria no dia 31 de março, fica em cartaz até o dia 26 de maio. Inaugurada em novembro de 2018, a exposição já é a terceira mais visitada do museu, tendo recebido mais de 110 milvisitantes. Em Junho, o MIS, em parceria com a Dueto Produções, apresenta a exposição Björk Digital.

PIN oQV – Colecionável EXCLUSIVO

Olhaê !

Chegou o pin exclusivo colecionável do canal O Quadrinheiro Véio !

Uma parceria com a Criarte Design !!

Quer o seu ?

Link de compra, já com frete fixo para todo BRASIL:

Pague com PagSeguro - é rápido, grátis e seguro!

Quer mais PINs ? Compre mais neste link e aproveite o mesmo frete acima !

Pague com PagSeguro - é rápido, grátis e seguro!

 

E já faça parte dos poucos seguidores do canal que tem um colecionável exclusivo do canal O Quadrinheiro Véio !

Conheça mais sobre a Criarte

  • Os produtos são feitos numa liga metálica chamada Zamac (zinco + alumínio + magnésio +cobre), e por essa liga não conter ferro ela não enferruja.
  • Orçamentos pelo whatsapp

Abraços do Quadrinheiro Véio !

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Lançamento: Quadrinhos Disney pela Culturama

Lançamento: Quadrinhos Disney pela Culturama

Eu com o Paulo Maffia – Editor Quadrinhos Disney

Olá Quadrinheiro e também você que acumula mais um título ao chegar neste post: Disneyano. Finalmente foram reveladas e lançadas as novas capas das novas revistas em quadrinhos dos personagens Disney no Brasil pela Culturama. E elas estão lindas !

Durante meses, o editor dos quadrinhos Disney da Culturama, Paulo Maffia, fez segredo de TUDO relacionado as revistas. Nem uma única capa, quadrinho ou tema foi revelado antes e ele ainda brincava com muito bom humor em suas redes sociais com as tentativas dos fãs de descobrirem alguma coisa. Vídeos, fotos, imagens corridas, borradas. E a gente ali tentando decifrar, mas não houve meio de descobrimos. Foram dias divertidos e ansiosos.

Evento de lançamento

Obrigado Equipe Culturama
Equipe Culturama

A Editora Culturama, de Caxias do Sul, fez um evento inédito para este lançamento, reunindo artistas, jornalistas, influenciadores e a sua própria equipe para anunciar e revelar as tais primeiras capas da nova fase dos Quadrinhos Disney em terras verde-amarelas. Após uma recepção muito bonita, tivemos um pronunciamento emocionado do Diretor Geral Fábio Hoffman e outros diretores e gerentes. Após apresentar-nos um vídeo sobre os bastidores da produção, Paulo Maffia autorizou a revelação das capas que veio seguida da simpática presença de ninguém menos do que o PATO DONALD, direto da Disney.

E as revistas estão muito incríveis !

Pudemos receber um kit contendo todas as 5 revistas lançadas pela editora. As primeiras edições de Mickey, Pato Donald, Tio Patinhas, Pateta e Aventuras Disney começam do número zero e são EDIÇÕES DE COLECIONADOR, com direito a selo e tudo. Preciso confessar minha ansiedade. Mal podia esperar pra ter a Tio Patinhas número 0 em minhas mãos. E quando finalmente recebi meu kit na saída do evento, foi como rever um velho amigo que mudou de casa e havia passado um tempo longe.

As revistas estão lindas, bem acabadas, com um cuidado enorme. Capas mais grossas, papel especial e 68 páginas com histórias inéditas. Cores vivas no formato 13,5 x 19,5 cm e uma diagramação e tradução feitas e atualizadas, pude perceber que as histórias estão recebendo um carinho muito especial por parte da Culturama. É um respeito enorme com personagens que realmente merecem e um público que as valoriza.

Novidades por aí !

Marcatti, Edson Diogo ( FGdQ ) e Marcelo Borba
       Marcatti, Edson Diogo ( FGdQ ) e Marcelo Borba

Durante a noite, também soubemos de mais algumas coisas. Como uma edição especial com mais páginas trazendo algumas histórias especiais e bastidores dos quadrinhos Disney, ou mesmo a presença confirmada do roteirista e desenhista italiano Franchesco Guerrini, que estará no Festival Guia dos Quadrinhos 2019 em São Paulo em abril. Convidado especial da Culturama, vem comemorar a casa nova do Mickey e seus amigos.
E também anunciou presença na CCXP 2019.
Tem muita coisa boa vindo por aí ainda. Vale a pena acompanhar as redes sociais da Culturama.

Desenhista Fernando Ventura passou a noite dando presentes para os convidados
Desenhista Fernando Ventura

As revistas começarão a chegar nos pontos de venda a partir de março e o mais interessante é que não apenas em bancas, mas em muitos pontos diferenciados, como mercados, farmácias e outras lojas. Assim, a distribuição é mais garantida, e chega em todos mesmo com a diminuição da quantidade de bancas de jornais nos últimos anos em nosso país.

E também existe a opção de assinatura, onde além de receber as edições “0”, tem um brinde super especial. Basta conferir no site da Culturama ( link ).

Enfim, agora vou terminar de ler as minhas. Já devorei Tio Patinhas ( obvio que eu leria esta primeiro ) e Mickey. E ainda tenho mais 3 pra ler. Felicidade é pouco !!!

Abraços do Quadrinheiro Véio !

Capitã Marvel chega aos quadrinhos junto com o filme

Capitã Marvel também chega aos quadrinhos com lançamento da Panini

A Capitã Marvel está de volta para viver novas aventuras nos quadrinhos. Em 7 de março, junto ao lançamento de um dos filmes mais aguardados do ano, os fãs também poderão conferir o título Capitã Marvel: Mais Alto, Mais Longe, Mais Rápido e Mais. Lançado pela editora Panini, a publicação celebra o primeiro filme da heroína como protagonista.

Nos quadrinhos, a personagem que nasceu nos anos 60 ganhou espaço como protagonista em 2012, em suas próprias revistas, e desde então suas histórias fazem sucesso entre os fãs e admiradores dos super-heróis do Universo Marvel.

Em 136 páginas com muitas aventuras e fortes emoções, o novo quadrinho reúne as edições de 1 a 6 de Captain Marvel que chegam na edição 1 de uma série em 2 volumes. Escrito por Kelly Sue Deconnick e ilustrado por David LópezCapitã Marvel: Mais Alto, Mais Longe, Mais Rápido e Mais apresenta a heroína Carol Danvers, considerada a mais poderosa da Terra.

Na história, a heroína assume a missão de devolver uma garota alienígena à sua terra natal e acaba entrando no meio de uma revolta contra a Aliança Galáctica. Enquanto investiga o realojamento forçado do povo Torfa, Capitã Marvel descobre que já conhece o vilão por trás da trama e chega a uma encruzilhada entre sua nova vida e um romance. Além disso, Carol Danvers precisa tomar uma difícil decisão que pode alterar o curso de sua história e do Universo Marvel inteiro.

O título será lançado em 7 de março, mas já está disponível em pré-venda na lojapanini.com.br.

Abraços do Quadrinheiro Véio !

Senhor Milagre tem venda exclusiva na loja on-line da Panini

Senhor Milagre tem venda exclusiva na loja on-line da Panini

Panini lança título Senhor Milagre, que conta a história de Scott Free, maior artista de fugas de diversos mundos, com venda exclusiva e já disponível com exclusividade na loja on-line (lojapanini.com.br) da editora para os fãs dos quadrinhos da DC Comics.

Criado por Jack Kirby, o Sr. Milagre teve sua primeira aparição nos quadrinhos em “Mister Miracle #1”, em 1971. Agora, a editora Panini traz a primeira edição especial da aclamada minissérie do herói que pode finalmente ter encontrado uma armadilha tão complexa que talvez nem ele mesmo possa escapar. O segundo volume da HQ já foi confirmado pela editora e deve chegar ao Brasil em Junho deste ano.

Abraços do Quadrinheiro Véio

Black Hammer

Black Hammer

Olá Quadrinheiro.

Vamos falar sobre uma obra recente ( relativamente nova mesmo, já que recebeu até prêmio Will Eisner por melhor série original em 2017 ), que é Black Hammer. Só te adianto que faz um bom tempo que não leio algo tão legal.

Terminei de ler os 2 primeiros volumes lançados no Brasil pela editora Intrínseca desta obra prima da Dark Horse.  Estou bem contente com o que eu pude ler até aqui e como a história vem bem contada. Tem a medida certa de mistério, suspense e aventura. É uma história densa e intensa, naquela levada de pós-apocalipse pessoal, onde os dramas e mistérios do momento presente são lentamente revelados com flashbacks de cada personagem e a gente vai tentando montar o quebra-cabeças na nossa mente.

Referências

Uma das mais surpreendentes coisas que Black Hammer traz são as referências. Você percebe que não é apenas um autor, mas um fã de quadrinhos que escreveu. Alguém que cresceu lendo HQ’s. Diferente de muitos autores que vieram dos livros e criaram a linguagem das HQs. É uma homenagem muito bonita aos heróis clássicos, mas mais do que isso, é uma homenagem à essência do clássico do super-herói. Ser herói é diferente de ser super-herói. Não apenas pelos poderes, mas pela própria linha de vida. Ser um herói é possível pra pessoa comum, com vida comum. Ser um herói é sobre escolhas que estas pessoas fazem. O super-herói tem uma vida fora da vida normal. Quando se soma a parcela “super“, a vida normal não existe mais. Não é uma escolha. Ser vilão ou herói ainda é a escolha, mas o prefixo “super” muda tudo. Ser super é solitário. E é sobre estas pessoas que esta obra se baseia. Então, não são apenas referências ou cópias. São homenagens, mesmo.

Com base nisso, podemos ver as inspirações de cada personagem em sua essência. Como a alma do Capitão América presente no Abe Slam. Ou o Capitão Marvel ao contrário na pequena Garota de Ouro Gail. Ela é uma mulher que se transforma em criança pra ter os poderes ao desferir o nome do mago Zafram.  Ou Barbalien, o marciano. Claramente o Caçador de Marte da DC em tudo, até na base do nome, ou mesmo do seu disfarce e poderes. A bruxa misteriosa do pântano, Libélula, nos remete ao Monstro do Pântano. Além disso, temos referências à sagas com os Gêmeos opostos que nasceram da origem o universo e que vivem em guerra. Alusão ao Monitor e Anti-monitor de Crise nas Infinitas Terras da DC. E ao mesmo tempo, este “Monitor” é equivalente a Odin, tendo Black Hammer o martelo dos dignos que dá super poderes ao possuidor, como o próprio Thor.

Mas isso é apenas o pano de fundo. São elementos que foram usados pra contar uma história sobre a psiquê super-heróica, profunda. Reflexões sobre a existência. Sobre ser normal, sobre não ser normal.

Autoria premiada

O canadense Jeff Lemire criou e roteirizou tudo isso. É o “pai da criança“, podemos por assim dizer. Ele não cria algo novo, ou inédito. Mas faz algo tão mais bem feito, que eu diria que ele é aquele agente da evolução. Ele dá substância e relevância pra algo que já tem tantos seguidores apaixonados ( que são os Super-Heróis ), e faz com maestria. Sua obra mereceu realmente o prêmio Eisner de Melhor Série Original de 2017. O traço de Dean Ormston é tão competente que emociona. Tem personalidade, tem cara de quadrinhos, tem cara de arte. Ele se respeita e equilibra estilo da era de prata com personalização pessoal. E as cores de Dave Stuart dão todo o ar temporal e geográfico que você precisa. Você literalmente mergulha no novo mundo.

Fora das páginas, para a TV

Os direitos de Black Hammer foram adquiridos pela Legendary Entertainment, produtora de vários filmes de sucesso, como Batman Begins, Círculo de Fogo e Jurassic World. A história ganhará adaptações para as telas de cinema e para a TV, ainda sem data de estreia. Parece que vem série por aê !!!

Eu realmente gostei de Black Hammer. É muito bonito, e muito instigante. Parece mesmo feito pra quem leu quadrinhos a vida toda e ama a arte sequencial proporcionada super-heróica. Mal posso esperar pelo volume 3, viu Intrínseca ?

E um agradecimento especial à minha amiga Fabiana por colocar esta maravilha em minhas mãos !

Abraços do Quadrinheiro Véio !

Festival Guia dos Quadrinhos comemora 10 anos

Festival Guia dos Quadrinhos comemora 10 anos, em 2019, em novo espaço
Um dos principais eventos geeks do Brasil ocorrerá no Hakka Plaza, em São Paulo, e terá muitas novidades, como ação social em prol de escola estadual paulistana

Festival Guia dos Quadrinhos, um dos principais eventos voltados para o público geek do País e que se tornou um ponto de encontro dos apaixonados por quadrinhos, mangás, games, e cultura pop, comemora em 2019 seu décimo ano de existência e chega a 13ª edição* sendo realizado em novo local, com muitas novidades e atrações, nos dias 13 e 14 de abril.

Pensando em proporcionar uma experiência diferente para o público visitante e para os artistas e expositores, a organização do festival optou por uma importante mudança de estrutura. O local do evento, em 2019, será o Hakka Plaza, no Metrô São Joaquim, em São Paulo.

“O acesso é tão fácil quanto o anterior, o metrô é bem próximo e, também, há estacionamento no local. As principais vantagens desta mudança é que o Hakka Plaza é mais moderno, tem acessibilidade e oferece mais conforto para expositores e visitantes. Fora que está em um dos bairros mais queridos de São Paulo, a Liberdade”, conta o criador e responsável pelo festival, Edson Diogo.

O Hakka Plaza, um dos locais mais tradicionais da cidade, está localizado na Rua São Joaquim, tem capacidade para 1.200 pessoas e conta com ar condicionado central, iluminação, sonorização, sala VIP e camarins, os dois últimos importantíssimos para o evento já que ele contará com a participação de convidados especiais.

*Nos anos de 2009 e 2013, o Festival Guia dos Quadrinhos teve duas edições, desta forma o evento comemora 10 anos e com 12 edições já realizadas.

Ação Social

Um dos pontos altos desta edição do evento é a ação social que o Festival Guia dos Quadrinhos fará em prol da Escola Estadual Castro Alves, na Zona Norte da capital paulista. Quem doar duas revistas de quadrinhos em bom estado terá o benefício da meia-entrada. 

Estes gibis doados, e que serão recolhidos na portaria do evento, serão utilizados para que a escola possa montar uma gibiteca. “A narrativa gráfica se aproxima muito mais da criança e do adolescente e, espaços pensados para essa interação, dentro do ambiente escolar, são fundamentais para o desenvolvimento dessas estratégias, uma vez que muitos estudantes não teriam isso em casa.”, diz o diretor do colégio, Júnior Conti.

Ingressos

A venda de ingressos para o Festival Guia dos Quadrinhos acontecerá de duas formas e em três momentos diferentes, sendo a compra antecipada em dois lotes, pelo site oficial www.fgdq.com.br/ingressos, e também na porta nos dias do evento. 

O primeiro lote estará disponível entre os dias 16/1 e 15/2, com valores de R$49,90 (inteira) e R$24,95 (meia entrada/ingresso social) para o sábado, dia 13/4; e R$45,90 (inteira) e R$22,95 (meia-entrada/ingresso social), para o domingo, dia 14/4.

Já o segundo lote iniciará as vendas a partir do dia 19/2 até o dia 28/3, com valores de R$59,90 (inteira) e R$29,95 (meia-entrada/ingresso social), para o sábado, dia 13/4; e R$55,90 (inteira) e R$27,95 (meia-entrada/ingresso social), para o domingo, dia 14/4.

Ambos os lotes serão vendidos apenas pelo site oficial do FGDQ. 

E, nos dias do evento, na porta os valores serão de R$69,90 (inteira) e R$34,95 (meia-entrada/ingresso social), para o sábado, dia 13/4; e R$59,90 (inteira) e R$29,95 (meia-entrada/ingresso social), para o domingo, dia 14/4.

Pagam meia entrada estudantes com carteirinha oficial do colégio ou da universidade na qual estudam, com data de validade e foto; professores da rede estadual ou municipal do estado de São Paulo, com documento funcional com foto e um holerite; idosos acima de 60 anos; e pessoas que doarem dois gibis em bom estado na porta do evento.

Já crianças com menos de 12 anos, não pagam ingresso.

Serviço
Festival Guia dos Quadrinhos 2019
Dias e horários: 
13 de abril de 2019, sábado, das 10h às 20h

                              14 de abril de 2019, domingo, das 10 às 18h
Local: Hakka Plaza
Endereço: R. São Joaquim, 460 – Metrô São Joaquim, São Paulo (SP)
Mais informações pelo site www.fgdq.com.br

Abraços do Quadrinheiro Véio !