A História de Joe Shuster – Resenha

A História de Joe Shuster – O Artista por trás do Superman

Olá, Quadrinheiro.

Terminei uma leitura aqui que me deixou triste, feliz, assustado e maravilhado ao mesmo tempo. Um pequeno sentimento de revolta talvez, unido ao pensamento de que a sociedade está anos e anos distante do equilíbrio ideal. Equilíbrio este que pode nunca chegar, é verdade.

Mas o livro A História de Joe Shuster, de Julian Voloj e Thomas Campi chegou a mim por intermédio da minha amiga de game online, Fabiana Ferreira. Ela havia comprado, me comentou muito bem do livro e eu já estava bem curioso. Me emprestou, demorei pra ler, e ao ler, me surpreendi. Uma biografia em quadrinhos, exatamente como um mestre das HQ’s merece. 

História por trás da história dos Quadrinhos.

Sabe aquele segredos sombrios, sussurrados entre as pessoas quando ninguém pode afirmar ou confirmar nada ? Aquelas frases soltas, que sempre fui buscado não tocar no assunto nas rodas, com medo de represálias, ou mesmo, medo de ser realmente verdade ? Este livro traz isso pra gente. Saber como foi a história da criação de um dos maiores ícones de todos os tempos, é uma aventura digna. E pede coração forte. Ao menos, a meu ver.

Este livro conta a história de Shuster desde antes de nascer. Mostra sua origem super humilde, um judeu nascido no Canadá, de pai proveniente dos Paises Baixos e mãe Russa. Temos uma sequencia contada em primeira pessoa pelo próprio Shuster, baseada em histórias contadas por familiares, conhecidos, documentos e cartas. O mais bacana é que não parece apenas uma biografia do Shuster, mas como ele conheceu Jerry Siegel ainda na adolescência, boa parte do livro contempla a época em que ambos estavam juntos e eram amigos.

A vida não era simples pra eles. Tiveras seus problemas como qualquer pessoa e o surpreendente é o velho Shuster ter uma vida tão dura, chegando ao ponto de morar na rua, sendo criador de um personagem tão importante. O que fica muito claro segundo a biografia, é que os amigos Jerry e Joe não apenas criaram o primeiro e maior herói de todos os tempos, mas todo um gênero de quadrinhos, que depois viria a se tornar um gênero tão rentável em outras mídias, como cinemas, séries, livros e etc. Coisa que você provavelmente já notou.

Venderam o Superman por 130 dolares. Não perceberam isso de cara, que venderam os direitos vitalícios do personagem, e claro que a editora que comprou iria tirar proveito legal disso. Depois de muitos anos, conseguiram um bom acordo, mas ainda assim, uma vida injusta. Aliás, isso só prova mais uma vez o quanto as leis não são sempre justas. O que é certo continua certo mesmo que ninguém faça. O errado continua errado mesmo que todo mundo esteja fazendo. Demorou, mas a justiça prevaleceu sobre a lei. Injusto demais que criadores de algo tão lucrativo passassem as dificuldades que passaram.

Enfim…

Julian Voloj fez uma boa pesquisa e foi bem responsável ao escrever a história. Sensato, soube dar uma velocidade e profundidades nos momentos certos. O desenhista Thomas Campi tem um estilo artístico muito bonito, pintura diferenciada, leve, quase uma brisa. Expressões bem feitas, quadros e referências, cores… tudo equilibrado e contando uma boa história como se deve. Italiano, mora na Austrália, tem alguns prêmios na mochila. 

Complementando a história, e talvez historicamente a parte mais importante do livro, tem as notas dos editores nas páginas finais do livro. É legal demais saber de onde vieram algumas informações narradas na história, copias dos originais de alguns documentos, datas, e etc… eu adoro este tipo de coisa.

Acho que todo fã de quadrinhos, principalmente HQ’s de heróis, deveria conhecer a origem do gênero que ama. Entender que nem tudo são flores e que bastidores costumam ser sujos e cheios de suor, lágrimas e gritos. Leia este livro. É da editora Aleph, que sempre nos presenteia com ótimos livros de ficção.

Depois passa no canal, que vai ter vídeo por lá também.

Abraços do Quadrinheiro Véio !

 

 

O Menino Que Não Sabia Voar – Yuri Amaral

O Menino Que Não Sabia Voar – Yuri Amaral

Olá, Quadrinheiro.

Recebi aqui uma indicação de um projeto que está sendo financiado através do Catarse que eu achei muito, mas muito interessante. A hq independente narra a trajetória de Kai Thuri, um garotinho que vive em um Vale cercado por imensas montanhas, isolado do resto do mundo. Todas as pessoas que lá nascem podem voar. Ele é o único, em toda a história do Vale, que não pode. Isso dá um pano pra manga que vc não imagina.

O Menino que não sabia voar nasceu em 2010 mas só começou a ser publicado no início de 2015, pelo site omenino.com.br.

No final de 2017 o capítulo 4 foi lançado, completando 69 páginas de história que, somadas aos contos e extras lançados no mesmo período, traçam um bom panorama da profundidade do universo em questão.

É importante ressaltar que o autor Yuri, LGBTQI+ assumido, incorpora no roteiro e nas personagens sexualidades diferentes, construindo um espectro tridimensional que só é possível ser percebido e absorvido através da leitura e da vivência da narrativa. E acho isso ge-ni-al ! Fora a arte que é um show a parte. As primeiras páginas realmente dá vontade de pendurar na parede. Olha só estas montanhas flutuantes aí. É de tal forma forte, expressiva e “fofinha” que a gente consegue perceber o emocional dos personagens facilmente ao acompanhar a leitura.

Informações que ele me forneceu pelo release:

Com a ajuda do financiamento coletivo recorrente pela ferramenta APOIA.se, Yuri reuniu quase cem pessoas que, mensalmente, acompanharam (e acompanham) a construção do projeto passo a passo e contribuem com quantias que variam de R$ 3 a R$ 20, cada qual com recompensas específicas.

Em 2018, a campanha de financiamento coletivo pelo Catarse tem um objetivo diferente de sua outra campanha: lançar um livro impresso do Menino. Apenas em suas primeiras 24h já arrecadou mais de 20% da meta principal e após a primeira semana, alcançou os 40%. Você pode acessá-la pelo link catarse.me/omenino entre os dias 5 de fevereiro e 22 de março, e escolher uma das formas de apoio. Com o valor mínimo de R$ 25 já é possível levar o livro impresso, com 120 páginas coloridas, para casa, além de várias outras recompensas, a maioria artesanal, conforme o apoio escolhido.

O autor

Yuri Amaral, nascido em Foz do Iguaçu, PR, vive com seu namorado e companheiro, Juliano Brusnicki e juntos fundaram e mantêm o Coelho Jujuba, uma marca de cadernos e camisetas artesanais.

Também é mestre em Estudos Interdisciplinares Latino-Americanos, pela Unila, e formado em Publicidade e Propaganda. O Menino que não sabia voar é sua primeira HQ longa.

Links

Campanha: catarse.me/omenino

Site: omenino.com.br

Facebook: fb.com/omeninoquenaosabiavoar

Abraços do Quadrinheiro Véio

Origem – Dan Brown

Origem – Dan Brown

Olá Quadrinheiro

Bom, talvez, não seja bem quadrinheiro, mas um bom leitor de livros se você chegou a esta resenha.

Sou um dos fãs de carteirinha dos livros do Dan Brown, então quando ORIGEM foi lançado, eu tive que comprar ele no próprio dia do lançamento. O sétimo livro do autor, e o quinto com Robert Langdon chegou às livrarias esta semana e preciso te dizer: Vale cada segundo emocionante e impressionante de leitura ! 

Mesmo estilo, mesma estrutura, reflexões e debate diferente.

Dan Brown é um típico autor que não joga pra errar. Ele descobriu sua fórmula e a aplica sem dó. Você sabe que seus livros vão ter Robert Langdon involuntariamente caindo de paraquedas no meio de uma aventura. Que ele vai estar acompanhado de uma mulher. Que ele vai ter que correr por vários pontos maravilhosos de cidades, sempre no meio de arte ( seja clássica, seja moderna ). Em algum momento ele vai fugir da polícia, o tempo vai ser fator determinante de algo. Alguém vai morrer. O vilão é dúbio até se revelar ao final. Vai ter código. Vai ter virada surpreendente. Vai ter laranja do bandido.

Mas vai ter seeeeempre: Um tema forte, polêmico. Daqueles que você fica balançado, pendendo pros dois lados. E desta vez nosso heróico protagonista vai ser engolido pela evolução tecnológica, ao mesmo tempo que um debate entre tradicionalismo e modernismo se desenrola, numa das melhores histórias de conflito e enfrentamento de Ciência versus Religião.

Onde ? Quando ? Arte ?

A trama deste livro é tão envolvente, tão estilosa e cuidadosa, que você percebe que o começo o livro é feito pra te amarrar, se irrita com isso, mas ao mesmo tempo não consegue largar o livro. Comecei a ler na sexta-feira a noite e domingo na hora do almoço já estava sepulcramente pensativo enquanto almoçava ao lado da minha esposa. Muito pensativo, muito reflexivo: E se o que o livro trouxe realmente acontecesse ? Como ficaria o mundo ? Como EU ficaria ?

Langdon desta vez está na Espanha, passando por cidades como Bilbao, Madri e Barcelona. Desta vez mais focado em arte moderna, que ele mesmo admite não entender muito bem, ao mesmo tempo que nos fala de artistas como Galdri, suas loucuras arquitetônicas como a casa Milá e a Sagrada Família e mais um monte de outros artistas, seja como referência, seja aprofundando.

Qual é a trama ?

Basicamente, um ex aluno e atual futurista bilionário e gênio intelectual/científico do Bob Langdon aparece dizendo que tem uma descoberta que vai abalar profundamente o mundo todo. O cientista revela que finalmente conseguiu a resposta para as duas perguntas fundamentais que movimentam a humanidade: “De onde viemos ?” e “Para onde vamos ? “. Com direito a muito futurismo, tecnologias muito avançadas, seitas fundamentalistas, teorias da conspiração, muita aula de arte e questionamentos morais, Dan Brown conduz magistralmente o mistério até nos brindar com um inteligente final onde dificilmente somos capazes de deduzir a real participação de cada personagem antes do momento que ele deseja. A gente até desconfia, mas é realmente difícil ter certeza.

Com mais de 420 páginas, o livro lançado no Brasil pela editora Arqueiro simultaneamente com o mundo todo, é um novo Dan Brown misturado com um Velho Dan Brown. É como re-encontrar um amigo. Espero que continue sempre assim.

Recomendo fortemente !

Abraços do Quadrinheiro Véio

A Vida de Luke Skywalker – Resenha do Véio

Uma Nova Esperança: A Vida de Luke Skywalker

Quando eu peguei estes dois livros pra ler, tanto A Origem e a Lenda de Obi-Wan Kenobi, quanto A Vida de Luke Skywalker, eu pensei que por serem Legends, poderiam ser leituras meio “perdidas“. Fico feliz em te dizer que não foi. São leituras muito prazerosas e extremamente interessantes. É uma pena, é muito lamentável que tanta coisa boa se tornou “não oficial“, muito se perdeu em termos de boas histórias e boas origens com a conversão da Lucasfilms para a Disney. A nossa sorte é que mesmo não sendo mais cânone, ainda podemos ter acesso às mesmas, já que a Disney teve o bom senso ( e a inteligência comercial, claro ) de manter as publicações ainda disponíveis pra que possamos ainda assim ter acesso à uma época mais mágica.

É muito natural a mudança de estilo literário com o passar dos tempos. As épocas e as pessoas evoluem, mudam. E nisso, os estilos de redação, os objetivos de criação, e até os formatos de apresentação das histórias também mudam. Assim como o cinema, muito do fantástico torna-se exagerado. A imaginação das pessoas torna-se limitada e não se permitem aceitar muitas coisas que eram aceitas e divertiam a não muitos anos atrás.

Vamos ao livro

A Vida de Luke Skywalker

Este livro que estou resenhando aqui neste post de hoje é um caso curioso. Embora seja um livro relativamente recente, 2008, Uma Nova Esperança: A vida de Luke Skywalker carrega uma “levada” adequada ao começo dos anos 90. Ele consegue fazer com que o fã de Star Wars dos anos 80 consiga gostar da forma com que o herói é abordado. Ao mesmo tempo, atualiza com os fatos da trilogia prequel sem se aprofundar, e nos leva a momentos da vida do Luke que a gente não conhecia, mas que adoraria conhecer.

Ele entra entre os filmes, esmiuça a mente do herói clássico tão fielmente criado à risca bebendo da fonte de Campbell, que é possível realmente aceitar a busca do jovem Skywalker por mais informações sobre seu pai após a sua morte. Porém, pra dar embasamento à sua trajetória e escolhas, o autor soube dosar momentos do passado, pensamentos e a formação do caráter do personagem, para dar fundamento em sua busca ao mesmo tempo que precisa até mesmo enfrentar sua irmã, que não nutre a mesma curiosidade que Luke, enquanto ele fielmente pesquisa seu passado, o passado de seu pai, e dos Jedi.

De dentro do novo cruzador da nascente Nova República, batizado como “Nova Esperança“, Luke faz toda a sua pesquisa, relembra, reflete. Este livro tem muitas referencias a muitos outros livros também. Ele é todo bem amarrado. Se considerar a quantidade de histórias anteriormente contadas, isso foi muito necessário e inteligente. Este livro é de 2007, mas a

Universo dos Livros relançou agora em 2017. E sou muito grato. 

Já li muitos livros de Star Wars em inglês, principalmente no final dos anos 90, já que eram poucos traduzidos pra cá. E te digo, não é uma questão (apenas) de preguiça. É mais fluído ler na sua língua mãe, mesmo que haja perdas na tradução. E esta ficou muito boa.

De quem é o livro ?

Da mesma forma que o livro que resenhei anteriormente, sobre a Vida de Obi-Wan Kenobi ( leia resenha aqui ), Ryder Windham mostra que pesquisou, que é fã e tem fluência na sua sequencia de história. Ele escreveu mais de 60 livros de Star Wars, incluindo o best seller Star Wars: The Ultimate Visual Guide. Como trabalha com Star Wars diretamente desde 1983, o cara tem um conhecimento enorme sobre as linhas do tempo do universo criado por George Lucas e com isso, mantém uma consistência em sua escrita que se fez conforme procurava sempre manter em mente as relações entre os personagens em diversos momentos. Assim, raramente acontecia uma incoerência em suas histórias.

Uma Nova Esperança: A Vida de Luke Skywalker é um livro que eu gostei muito. Não tenho cacife pra dizer se é melhor ou pior do que o livro do Obi-Wan. Apenas posso dizer que é diferente e não tem aqueles momento que mostram o personagem no meio do filme. Não é um livro biográfico como o outro, mas é um livro muito, muito divertido. Ainda me falta ler o terceiro, a Ascensão e Queda de Darth Vader. Mas espero ter acesso a ele logo, logo.

Recomendo !

Abraços do Quadrinheiro Véio !

Conheça o canal do YouTube: YT.com/oquadrinheiroveio

Os Maiores Super-Heróis do Mundo – Coletânea de Luxo

Os Maiores Super-Heróis do Mundo – Coletânea de Luxo

Os Maiores Super-Heróis do MundoAcabo de receber aqui o relançamento da coletânea de luxo ” Os Maiores Super-Heróis do Mundo“, pela Panini. Desde 2008 que as livrarias não viam esta edição especial.

Lembro-me até hoje do impacto que eu tive ao conhecer pela primeira vez o trabalho do Alex Ross através de Marvels. Eu havia lido sobre a revista em uma edição de Wizard Brasil e entrei em contato com uma pessoa da minha cidade que tinha uma forma de importar. Tanto que as minhas 4 primeiras são as originais americanas.

Pouco depois, noticiou-se que Alex Ross estaria fazendo um projeto parecido pra DC Comics, que seria Kingdom Come, o nosso idolatrado Reino do Amanhã aqui no Brasil. Maravilhoso ! Após revisitar o passado da Marvel, Ross e Waid vão para o futuro da DC de maneira sombria e poética. Um roteiro maravilhoso com pinturas lindíssimas. Obra eterna, atemporal. Em 200 anos ainda falaremos de Kingdom Come.

Claro que ele tem muitos outros trabalhos, mas este foram seus grandes destaques na época. Em seguida, ele começou uma série de histórias de grande reflexão, com cada um dos heróis principais da DC, em parceria com Paul Dini pra fazer os roteiros. Foram então lançadas edições para cada um dos personagens que ele considerava os arquétipos perfeitos dos super-heróis, sobre os quais todos os outros que seriam criados em seguida iriam seguir. E também foi produzido na mesma ordem da criação original: Super-Homem, Batman, Capitão Marvel e Mulher Maravilha. Ciência, Mistério, Magia, Mitologia.

Humanidade Heroística

Assim como cada personagem tem sua base principal, eles tem suas características que também os definiam em sua humanidade. Super-Homem, acima da humanidade, desejando Paz no planeta através do fim da fome. Batman na sua eterna busca por Justiça. Capitão Marvel e seu sorridente otimismo na forma de Esperança. E a grande guerreira, Mulher Maravilha que com o símbolo de seu laço mágico, sempre lutou pela Verdade.

Quando eu tive cada uma destas revistas nas mãos na época de seu lançamento ( e ainda as tenho em minha estante ), lembro de que o teor do meu sentimento era dividido entre a mais pura emoção e grandes reflexões. Heróis que ao mesmo tempo estavam dentro de seu próprio universo, poderes, vilões e etc… mas que foram transportados pra um mundo real. Não apenas por conta das pinturas do Ross, mas pelo texto implacável e reflexivo do Paul Dini.

Em seguida, ainda no mesmo espírito, a dupla lança mais duas publicações da Liga da Justiça. Origens secreta trata de unidade, de como o planeta passa a precisar dos heróis e Liberdade e Justiça na união contra uma ameaça alienígena. Estes projetos começaram antes mesmo de terminarem Espirito da Verdade da Mulher Maravilha.

Na origem da fama

L_J E 68 69.TIF

Acho que falar de Alex Ross e Paul Dini em um blog sobre quadrinhos, pra leitores de quadrinhos é chover no molhado. TODO MUNDO conhece os caras. Talvez mais Ross do que Dini, mas lembre-se que Paul Dini era um dos roteiristas das animações da DC nos anos 90, sendo até co-produtor e diretor de uma ou outra. Aliás, o DCU poderia aproveitar-se de Paul Dini, não é mesmo ?

Cada uma das 6 revistas reunidas na coletânea ” Os Maiores Super-heróis do Mundo ” re-lançado este mês de agosto pela Panini no Brasil tem a sua grande importância, e se você me perguntar eu não conseguiria escolher uma preferida. É como se fossem todas partes do mesmo todo.

AquamanO encadernado de luxo, em formato grande reune: Superman:  Paz na Terra; Batman: Guerra ao Crime; Shazam: O Poder da Esperança; Mulher-Maravilha: O Espirito da Verdade; LJA: Origens Secretas e; LJA: Liberdade e Justiça.  Verdadeira obra-prima, cada quadro é digno de merecer um espaço na parede. É Alex Ross, né ? Mesmo pra quem, como eu, já tem as edições originais separadas, vale o encadernado pelos extras e pelo formato de luxo, com letras douradas. É como ter um livro de arte em mãos, não apenas uma revista em quadrinhos. Ele é pesado ! Deliciosamente pesado. Fora o pôster que vem de brinde no final. Que fã de quadrinhos não tem ao menos um pôster do Alex Ross na parede de sua casa ? Bom, eu sei que EU tenho ! hahaha

Quer saber de cada uma ?

Cada uma das edições coletadas em “Os Maiores Super-Heróis do Mundo” merece uma resenha específica aqui no blog, e eles terão. Existe muito sobre o que discorrer, refletir. Tem pensamentos sociais, políticos, econômicos, filosóficos e psicologia profunda em todas elas. Merecem respeito, merece análise. Prometo fazer isso aos poucos junto com você e vou atualizando os links aqui neste artigo principal sobre estas obras. Pra mim é isso mesmo.. obras ! 

Aliás, a do Super-Homem : Paz na Terra você pode ler aqui !

Comente o que acha da obra aí, respondo todos os comentários. TODOS !

Olha só, se por algum motivo não tiver nas livrarias aí da sua cidade, encontre direto na loja online da Panini, aqui: http://loja.panini.com.br/

E me siga nas redes sociais ! Estou no instagram ( @oquadrinheiroveio ), no Facebook ( fb.com/oquadrinheiroveio ) e no youtube ( youtube.com/oquadrinheiroveio )

Abraços do Quadrinheiro Véio !

 

A Origem e a Lenda de Obi-Wan Kenobi – Resenha do Véio

A Origem e a Lenda de Obi Wan Kenobi

Olá, Quadrinheiro !

Quando eu recebi este livro pra fazer a resenha, me senti muito contente. Como leitor antigo de literatura de Guerra nas Estrelas ( aliás, o simples fato de falar “Guerra nas Estrelas” ao invés de Star Wars, já embute o adjetivo “antigo”, tornando a frase um pleonasmo… heheheh ), sempre que posso ler um livro que ainda não tive a chance de ler, é uma oportunidade feliz.

A Origem e a Lenda de Obi-Wan Kenobi é uma leitura bem divertida, rápida e nostálgica. Lançado em 2008 com o título original de “The Life and Legend of Obi-Wan Kenobi“, o livro que era cânone, passou a fazer parte do universo Legends depois que a franquia foi vendida para a Disney. A edição que recebi foi lançada pela Universo dos Livros, pelo selo Universo Geek. O livro tem excelente qualidade, páginas amarelas com letras pretas, tamanho de fonte excelente pra leitura e leve pra segurar, já que são aproximadamente 190 páginas de história apenas.

Que acontece ?

Capa originalA história do livro é basicamente uma biografia do cavaleiro/mestre Jedi Obi-Wan Kenobi. Iniciando desde sua infância, o momento em que ele fabrica seu primeiro sabre de luz, e vai até ano após a morte do velho Mestre Jedi. É basicamente uma recapitulação um pouco mais detalhada dos 6 filmes, só que sob o ponto de vista de Obi-Wan Kenobi. Temos momentos mágicos com seu mestre Qui-Gon Jinn, momentos com o jovem Anakin, revivemos as passagens dos filmes, com os mesmos diálogos reproduzidos no cinema, e algumas lacunas são preenchidas com histórias não mostradas, como seu período no deserto de Jundland em Tatooine, algumas passagens de Anakin em seu treinamento, todo o pensamento do Mestre Obi-Wan além do que ele dizia nos filmes, a origem do nome Ben Kenobi e como ele aprendeu a se unir a Força com o espirito de Qui Gon Jinn. Suas motivações, sentimentos, medos… a proteção do jovem Luke e também o que houve com ele durante sua estada na Força após “O Retorno de Jedi“.

Capa alternativa originalUma das coisas que mais gostei no livro, é que ele começa com Luke Skywalker a procura do congelado Han Solo em Tattooine. Logo após os eventos de “O Império Contra-Ataca“, Luke procura Han Solo e Boba Fett e neste meio tempo retorna à casa do velho Kenobi em Tatooine com a esperança de conseguir um novo sabre de luz e encontra um velho diário. É através deste diário que Luke aprende a fabricar seu sabre novamente e conhece um pouco mais da história dos Jedi e descobre realmente o que aconteceu com seu pai. Tudo sob o ponto de vista de Kenobi. São vários momentos do livro em que temos esta “paradinha” da história de Obi-Wan pra acompanhar Luke.

O livro é muito bom. Eu apenas confesso que nas partes que eram exatamente iguais ao filme, senti alguma ansiedade. Basicamente mais da metade do livro se passa nestes momentos que você já conhece, e isso gera alguma quebra o ritmo na hora da gente se manter conectado, já que fiquei bem ansioso com as partes inéditas com o personagem. Entenda que é legal pacas a gente saber sobre o pensar do velho mestre, mas ao mesmo tempo, a gente quer que passe isso logo pra ver o que tem de novo, do que não sabemos ainda. Acho que é só isso que “pegou” na leitura. Mas considerando que é um livro leve, curto e basicamente biográfico, é algo esperado.

O final do livro é emocionante, daqueles que fazem justiça ao legado de um personagem tão importante quanto. É aqueles casos de toda biografia, você sabe o que vai acontecer, mas quer sentir os detalhes e isso foi muito bem feito. Ainda queria que tivesse mais aventuras inéditas do velho Obi-Wan, assim como tem em outros livros e possivelmente, no anunciado filme solo do personagem.

A história também recebeu uma quadrinização, e alguns momentos bem legais foram transformados em imagens, como esta abaixo. Deixo aqui só pra aguçar um pouco a sua curiosidade sobre uns dos momentos inéditos da história do velho Ben.

Quadrinização do Livro - A Origem e a Lenda de Obi-Wan Kenobi.
Quadrinização do Livro – A Origem e a Lenda de Obi-Wan Kenobi.

Quem autora ?

O escritor é Ryder Windham, autor de diversas novelizações de Star Wars ( o que explica bastante estes trechos dos filmes na narrativa ) e também lançou livros com a mesma idéia, um do Luke, chamado : Uma Nova Esperança: A vida de Luke Skywalker ( que está comigo para ler também, e será a próxima resenha ) e também A Ascensão e Queda de Darth Vader. Todos pela Universo dos Livros. Este do Vader eu também irei adquirir, obrigatoriamente ! Acho que só por este comentário, você já pode sentir que eu gostei bastante do que eu li.

Recomendo a leitura de A Origem e a Lenda de Obi-Wan Kenobi. Acho que mesmo sendo Legends, é uma leitura muito legal. Já lí muitos livros de Star Wars, e nem todos são tão divertidos e nostálgicos como este.

O Universo Legends tem fidelidade cronológica dentro dele mesmo, já que era o antigo cânone de Guerra nas Estrelas. É muito rico, com grandes momentos maravilhosamente escritos. E eu recomendo fortemente a leitura de muitos títulos que levem este selo.

Abraços do Quadrinheiro Véio !

 

Beltranos e Beltranas – Livro e Projeto Catarse

Fala Galerinha, Beleza ?

Tem um projeto que conheci na CCXP no ano passado que achei muito legal: Fulanos e Fulanas e Ciclanos e Ciclanas. Do quadrinista Pedro Hutsh Balboni.

Este ano ele fecha um terceiro livro, mesma pegada : Beltranos e Beltranas.project_thumb_facebook_170701JOA022_CapaCatarse

Último livro da trilogia “Fulano, Ciclano, Beltrano” completa a reunião de 150 artistas em torno de… joaninhas.

Beltranos e Beltranas, do quadrinista Pedro Hutsch Balboni, é o terceiro livro da coleção independente e busca financiamento no Catarse.

O quadrinista independente convidou mais 50 artistas para reinterpretarem tirinhas selecionadas entre as mais de 1.200 tirinhas do seu trabalho, totalizando 150 artistas na coleção.

joaninhas_debora

Os personagens são joaninhas, protagonistas da série online Joãos e Joanas (www.joaoasejoanas.com). O tom das tiras é de humor com filosofia, e a abordagem visual traz personagens estáticos, a história se passa nos balões de fala.

A proposta deste projeto é transformar esses insetos de acordo com o estilo de cada um desses artistas, mantendo o mesmo texto original.

O autor já tem mais de 10 livros publicados, todos de forma independente. Ele também tem outras três campanhas de financiamento coletivo no portfólio, todas bem-sucedidas, sendo esta sua quarta campanha.

Ela fica no ar até o dia 8 de setembro. Além de brindes exclusivos, descontos especiais, e ter o nome impresso nos agradecimentos do livro, existem metas estendidas que foram criadas para acelerar a campanha.

JOAOS_E_JOANAS_UHM_copy_-_Will_Leite

A primeira já foi atingida: os 50 apoiadores do primeiro dia ganharam junto com seu apoio o livro “Conto Brasileiro – Romance de uma Situação Crônica”, também do autor. Agora, se forem atingidos 150 apoios até o dia 31/07, todos os apoiadores irão receber um livro “Beltranos e Beltranas” extra. E se o projeto atingir o dobro da meta, os apoiadores ainda recebem um Vale-Tangram, para retirar a HQ com o autor em algum evento.

Vale-a-pena-participar-da-campanha.

SERVIÇO

PROJETO COLABORATIVO PARA FINANCIAR O LIVRO BELTRANOS E BELTRANAS

QUANDO Até 08 de Setembro

ONDE Site do Catarse (projeto no Catarse)

QUANTO Há várias recompensas. A mais simples é de R$20 e garante o livro Beltranos e Beltranas com direito a nome nos agradecimentos.

CLASSIFICAÇÃO Livre

Mais informações: beltranosebeltranas@gmail.com

Abraços do Quadrinheiro Véio !

Livro: As Filhas de Selene, de Danielle Sampol – Book Review

Livro: As Filhas de Selene, de Danielle Sampol – Book Review

Oi Quadrinheiro !

As Filhas de Selene
  Capa do Livro – As Filhas de Selene

Inaugurando uma nova “ala” no blog, farei eventualmente resenhas de livros. E este primeiro é do livro “As Filhas de Selene“, da escritora Danielle Sampol. Basicamente um livro de monstros clássicos, os apaixonantes lobisomens ? Não e sim. Não é básico, e sim, apaixonantes lobisomens.

Resumindo um pouco: Vila Sant’Anna tem alguns moradores peculiares. Reune uma população pequena, mas ao mesmo tempo, com alguns segredos. A chegada de uma menina estrangeira, Patrizia, começa a trazer a tona alguns destes segredos. Patrizia e sua amiga Lola são meninas amaldiçoadas por Selene. Uma maldição que tem algumas coisas positivas. Ao mesmo tempo, alguns lobisomens que são duplamente amaldiçoados começam a aparecer por lá, e magicamente, tem uma ligação absurda com estas meninas, Selenitas, ou filhas de Selene. E a trama se desenvolve por aí. Com altos e baixos, subtramas, diálogos e dramas adolescentes, o livro tramita gostosamente com tudo que uma cidade pequena tem de bom pra jovens que ainda estão descobrindo a vida.

Autora Danielle Sampol - As Filhas de Selene
Autora Danielle Sampol – As Filhas de Selene

Eu recebi o convite da própria autora para ler o livro. Fiquei muito contente. Embora seja um leitor inveterado de HQ’s, eu também amo ler livros. Tenho por hábito ler muito, sejam livros profissionais, sejam para lazer. E eu fiquei meio ressabiado ao receber um livro de uma autora brasileira sobre seres fantásticos como lobisomens. Mas ao mesmo tempo, fiquei curioso. A Dani não é uma autora convencional, então eu já sabia que não seria uma leitura com um retrato “fofinho” dos monstros clássicos da literatura universal. Embora seja o primeiro livro da Dani que eu tenha lido, sei que não é seu primeiro trabalho. A Danielle tem mais 4 ou 5 livros publicados antes e o amadurecimento é visível. 

Selenitas, lobisomens, cidade pequena.

A leitura tem um bom caminhar, tem ritmo constante e embora o começo do livro seja meio “enroladinho“, quando a gente prossegue a melhora é enorme. Ela sabe anunciar os mistérios e sabe ir esclarecendo-os à medida que a narrativa pede, nos momentos certos. Assim te prende na leitura. Eu sentia duas coisas ao ler o livro: Não queria largar o livro e não queria que o livro acabasse logo. As mais de 400 páginas fluem deliciosamente, sem enrolação com cenas mais detalhadas alternadas com cenas mais corridas. Ao mesmo tempo que alguns momentos são bem detalhados, lentos e demorados, temos uns pulos na história que deixa a gente achando que pulou alguma pagina no meio. Mas não, ela esclarece isso no caminhar da leitura.

É um livro com uma “pegada” feminina. Acho que os meninos vão gostar, mas a identificação é mesmo para as garotas. Isso não é nenhum defeito, é muito legal. Tem romance, amor, paixão. Mas ao mesmo tempo, é pra menina mais moderna e menos sonhadora, pois tem ação e sangue, violência e ferocidade. Os personagens são fieis ao seu perfil de comportamento e os clichês que percebemos na leitura são mais comportamentais do que arquetípicos. Particularmente eu prefiro assim. A maturação da “heroína” Patrizia tem a levada clássica da jornada do herói, o que eu particularmente amo !

É um livro de mistério. Toda a trama principal do livro é desvendada no final, mas muito espertamente, quando a leitura começa a se findar, uma subtrama maior começa a dar sinais e mesmo antes de terminar o livro, você já sabe que vai vir uma continuação aí. E eu posso dizer que estou curioso pra ler o que mais acontecerá com a turminha de Vila Sant’Anna. A gente se torna intimo deles, odeia e adora alguns, mas começa a senti-los como conhecidos.

Recomendo a leitura, e se no começo você ficar meio incomodado e pensar em largar, persista. Vale muito ! Pode encontrar ele na Amazon aqui !

Abraços do Quadrinheiro Véio !