O Menino Que Não Sabia Voar – Yuri Amaral

O Menino Que Não Sabia Voar – Yuri Amaral

Olá, Quadrinheiro.

Recebi aqui uma indicação de um projeto que está sendo financiado através do Catarse que eu achei muito, mas muito interessante. A hq independente narra a trajetória de Kai Thuri, um garotinho que vive em um Vale cercado por imensas montanhas, isolado do resto do mundo. Todas as pessoas que lá nascem podem voar. Ele é o único, em toda a história do Vale, que não pode. Isso dá um pano pra manga que vc não imagina.

O Menino que não sabia voar nasceu em 2010 mas só começou a ser publicado no início de 2015, pelo site omenino.com.br.

No final de 2017 o capítulo 4 foi lançado, completando 69 páginas de história que, somadas aos contos e extras lançados no mesmo período, traçam um bom panorama da profundidade do universo em questão.

É importante ressaltar que o autor Yuri, LGBTQI+ assumido, incorpora no roteiro e nas personagens sexualidades diferentes, construindo um espectro tridimensional que só é possível ser percebido e absorvido através da leitura e da vivência da narrativa. E acho isso ge-ni-al ! Fora a arte que é um show a parte. As primeiras páginas realmente dá vontade de pendurar na parede. Olha só estas montanhas flutuantes aí. É de tal forma forte, expressiva e “fofinha” que a gente consegue perceber o emocional dos personagens facilmente ao acompanhar a leitura.

Informações que ele me forneceu pelo release:

Com a ajuda do financiamento coletivo recorrente pela ferramenta APOIA.se, Yuri reuniu quase cem pessoas que, mensalmente, acompanharam (e acompanham) a construção do projeto passo a passo e contribuem com quantias que variam de R$ 3 a R$ 20, cada qual com recompensas específicas.

Em 2018, a campanha de financiamento coletivo pelo Catarse tem um objetivo diferente de sua outra campanha: lançar um livro impresso do Menino. Apenas em suas primeiras 24h já arrecadou mais de 20% da meta principal e após a primeira semana, alcançou os 40%. Você pode acessá-la pelo link catarse.me/omenino entre os dias 5 de fevereiro e 22 de março, e escolher uma das formas de apoio. Com o valor mínimo de R$ 25 já é possível levar o livro impresso, com 120 páginas coloridas, para casa, além de várias outras recompensas, a maioria artesanal, conforme o apoio escolhido.

O autor

Yuri Amaral, nascido em Foz do Iguaçu, PR, vive com seu namorado e companheiro, Juliano Brusnicki e juntos fundaram e mantêm o Coelho Jujuba, uma marca de cadernos e camisetas artesanais.

Também é mestre em Estudos Interdisciplinares Latino-Americanos, pela Unila, e formado em Publicidade e Propaganda. O Menino que não sabia voar é sua primeira HQ longa.

Links

Campanha: catarse.me/omenino

Site: omenino.com.br

Facebook: fb.com/omeninoquenaosabiavoar

Abraços do Quadrinheiro Véio

Nova Doença: Haterismo !

Nova Doença: Haterismo !

Fala Galera, beleza ?

Então, talvez nem tanto assim…

Descobertas recentes da medicina apontam para um novo distúrbio no âmbito psicológico com forte contaminação e disseminação pelo ar. O Haterismo está se tornando uma epidemia.

Brincadeiras a parte, tenho reparado uma forte disseminação do ódio. As pessoas não parecem mais entender uma coisa que sempre foi básica e importante. Desaprenderam a respeitar.

A internet trouxe muita, mas muita coisa boa. Tem de tudo por aí, tem conhecimento, tem opinião, noticias e comunicação em velocidade altíssima e por todo lugar. Eu costumo dizer que, se existe um inconsciente coletivo da humanidade, a internet é o consciente coletivo. Todo o conhecimento, toda nossa história, todo o nosso comportamento individual e social está ali. Pela internet, uma civilização alienígena pode saber mais de nós do que gostaríamos. É uma fonte incomparável de estudos sociológicos e psicanalíticos. Entretanto, nem tudo são flores no habitat do todo poderoso Google. Se todo mundo tem acesso, logo… conclui-se que todo mundo tem acesso. E com todos tendo uma voz, é fatalmente fácil que vozes positivas se percam e vozes ignorantes se façam ouvir. E é neste contexto, neste mundo que nasceu o Haterismo. Esta síndrome do ódio que existia apenas em pequenos grupos e que agora se alastrou por toda a internet numa corrente cada vez mais forte.

Para muita gente, isso é o normal. E é claro que se não é normal, está se tornando. Se o normal é um comportamento ou característica que acontece em 50% + 1 das vezes que algo acontece, então, dentro deste conceito o normal existe. Mas se é algo positivo ou não, é outro julgamento. Não é porque algo é normal, que este algo é bom. Como diziam os antigos, não é porque todo mundo faz que é certo e não é porque ninguém faz que é errado. E por mais julgamento que se aplique quando se pensa na classificação de alguma coisa como sendo “certo ou errado”, há de se convir que se um comportamento leva ao ódio não é preciso ser o Mestre Yoda pra saber que o Lado Sombrio da Força está à espreita. :pppp

Um amigo muito sagaz, escreveu em seu perfil pessoal de uma de suas mídias sociais digitais o seguinte:

       Esse discurso de raça superior dá no saco. Sempre desrespeitoso e alienado. A música diferente do que gosto é uma merda. Eu sou um retardado por séries, mas você que assiste novelas é inferior. Futebol (ou qualquer tipo de esportes) é alienação. Mas eu não falo de outra coisa que não seja minhas idiossincrasias. Quem paga uma fortuna numa camiseta de futebol, ou numa balada é retardado, mas minhas memorabilias e coleções são coisas importantes para a humanidade. Você que gosta de filmes como Velozes e Furiosos é idiota. Esperto sou eu que fico discutindo cor de sabre de luz. Carnaval é uma bosta… certo é eventos de nicho, onde caminho com os meus “iguais”… 

Sério…essa merda toda já deu. Respeite pra ser respeitado, aprendi isso no surf mas serve pra vida.

Acho que por mais que eu tente, não conseguiria exemplificar tão bem os sintomas do haterismo como ele o fez. Mesmo conseguindo sentir a frustração dele através da raiva de suas palavras, ele ainda assim o fez com respeito. Entende ?

Pense assim: Se você não gosta de algo, não significa que aquilo seja necessariamente uma “merda” como você costuma postar no seu perfil. Aquilo pode ser apenas algo que você não gosta e que não se identifica com você. Falar que algo é uma “bosta” não é opinião, é falta de respeito. Sim, é sim. Se você faltar com respeito com as pessoas, fatalmente elas terão a permissão para faltar com você e se todo mundo começar a se comportar assim, uma hora não haverá mais tolerância. E o que acontece em seguida ?

Ao invés disso, compartilhe o que pensa com respeito. Diga que não gostou, mas o faca sabendo que são pessoas que produziram algo pra você e pessoas que irão ler a sua opinião. Ninguém é mais “badass” só porque usa palavrão ou fala mal gratuitamente de algo. Xingar não te coloca acima de ninguém. É apenas mais um idiota sem propriedade, exibindo ignorância e espalhando ódio.

Esta nova geração de jovens adultos tem tido muito problema pra lidar com a frustração, e como muitos pais não estão sabendo ensinar aos filhos como respeitarem as pessoas, mais e mais temos um mundo em que os jovens adultos acham normal espalhar raiva e ódio por aí como se não fossem haver consequências terríveis. Consequências não apenas para si mesmo, mas para todos.

Então, alguns pontos para sua reflexão:

           – Eu contribuo de alguma forma pra manutenção da disseminação do ódio ?

          – Eu imponho minha opinião com respeito ou eu disfarço ódio e preconceito sob uma cobertura de “ estou apenas dando minha opinião” ?

            – De alguma forma eu poderia fazer algo pra impedir que o haterismo continue se propagando ?

            – Como eu lido com amor ?

            – Eu confundo respeito com medo ?

            – Eu pratico bullyng ? Consciente ou inconsciente?

            – Sou só um babaca ignorante e me apoio nisso porque é o que todo mundo faz ?

Bom, acho que é isso.

Espero que esta minha reflexão possa de alguma forma fazer você refletir sobre seu comportamento, e perceber que o que você recebe do mundo, depende do que você coloca nele.

Que você possa sentir que não vemos o mundo como ele é, mas como nós somos.

E que você precisa colocar no mundo o que você espera dele. Tudo que é plantado no mundo, germina, floresce e se multiplica. Desde vegetais à idéias. Portanto, plante amor.

Seja você a diferença que quer ver no mundo” – Gandhi.

Abraços do Quadrinheiro Véio

Hater gonna hate

4 anos de Blog – O Quadrinheiro Véio

4 anos de blog – O Quadrinheiro Véio

Meu amigo quadrinheiro, parece que foi ontem mas há 4 anos, numa noite como esta de 1 de janeiro eu iniciei um projeto que eu desejava fazer a muito tempo: Ter um blog ! Mas me faltava tema, assunto e mais do que isso: disposição.

Um blog é uma responsabilidade. É um canal, é uma forma de comunicação. É um privilégio e também um compromisso. E por isso, é preciso envolvimento. E embora eu já sentisse que era algo que eu queria muito fazer, queria fazer algo que realmente me tocasse, e que eu pudesse falar de todo coração. E assim, nasceu o Blog do Quadrinheiro Véio.

A idéia: Criar conteúdo inédito, autoral. Um blog estilo coluna, focado em opinião debate e com o objetivo de fazer amigos ! Hoje posso dizer que ele cumpre muito bem seu papel. São muitos e muitos artigos com mais do que uma análise técnica. Eu gosto de colocar sentimento, de mostrar o que é ler algo na sua época, no seu contexto, da forma que foi feito pra ser entendido.

É muito simples gostar de Watchmen hoje, mas você sabe como foi isso na época? E quando o Super-Homem morreu ? Como era isso numa época em que os quadrinhos ainda não tinham a quantidade de morte e ressureição que tem hoje ? Quadrinhos durante a guerra fria e como isso era refletido em suas páginas quando o acesso à informação era restrito demais, com todos dependendo da TV, Rádio, Jornais ou mesmo cartas de parentes e amigos que viviam no exterior.

Tão bem que cresceu e um ano depois nasceria o canal do YouTube do Quadrinheiro Véio. Esticando as opiniões, agora emendando cinema, séries, eventos, lançamentos, unboxings, colecionismo e tudo que estivesse dentro dos gostos geek/nerd de heróis.

Espero estar conseguindo passar conteúdo pra vocês. Fico muito feliz com as visitas, os comentários e as amizades conquistadas.

Seja sempre bem vindo !

Abraços do Quadrinheiro Véio !

 

O Quadrinheiro Véio - 4 anos de BLOG

 

 

quadrinheiro veio 4 anos

quadrinheiro veio 4 anos

Obrigado !

quadrinheiro veio 4 anos

Obrigado !

quadrinheiro veio 4 anos

Obrigadoooo !

Cavaleiros do Zodíaco – Álbum Oficial da Panini

Cavaleiros do Zodíaco – Livro Ilustrado Oficial da Panini

Capa do álbum dos Cavaleiros do ZodíacoCavaleiros do Zodíaco tem uma importância enorme em minha vida, não apenas por ser o único anime seriado que eu realmente assisti TODOS até hoje, ser o único que eu gosto, ser o único que eu considero bom, mas também por conta de grandes aprendizados de valores. Quem me acompanha já sabe que eu não suporto um monte de animês e mangás, mas de CdZ eu tenho tudo. TUDO.  Mangás, livros, revistas Herói, DVD’s, brinquedos, Cloth Myth e agora : O novo álbum oficial de figurinhas da Panini !

Quando soube do lançamento na hora eu me interessei, e comecei a esperar aparecer nas bancas da minha cidade. Só que de repente meu porteiro do prédio me interfona dizendo que tinha algo pra mim lá. Fui curioso e quando abro o envelope… TCHAM ! O álbum com um monte de pacotinhos de presente da Panini. Eu mal pude acreditar.. fiquei procurando microfones e câmeras escondida por toda a minha casa. Como eles sabiam? Ninjas na velocidade da luz ?

O Álbum

Este álbum vem em comemoração aos 30 anos de Cavaleiros do Zodíaco. É muito bonito, colorido, e tem a fase clássica dos cavaleiros, pequenos textos sobre os personagens e muitas figurinhas pra colar. São 192 figurinhas, sendo 48 especiais ( 24 metalizadas + 24 de vinil ). O papel é ótimo, capa e design com a típica qualidade normal dos álbuns de figurinhas da Panini. É uma coleção exclusiva, que mesmo no alto dos meus 40 anos, me remeteu à época que eu não deixava de ter meu horário sagrado em frente à TV pra acompanhar toda a saga dos protetores de Atena. 

Cavaleiros do ZodíacoO livro ilustrado ( óia que chique este nome, né ? Livro Ilustrado ! rs… rs… ) tem 48 páginas e cada cavaleiro de bronze tem páginas duplas, com um quadro de perfil com dados físicos, poderes, técnicas e um cromo metalizado com a sua respectiva Pandora Box e um cromo de vinil com a armadura do desenho animado. Além de Atena, o Seiya, Shiryu, Hyoga, Shun e Ikki tem seus espaços mais do que enormes e os cavaleiros de bronze secundários tem até mais espaço do que os cavaleiros de prata, teoricamente mais fortes. A nostalgia é dupla: Primeiro por conta dos personagens, segundo por ser um álbum de figurinhas.

Como sou colecionador, sendo coleção eu já adoro. Considerando que figurinhas foi a primeira coisa que colecionei, fica mais legal ainda. Mais especial ainda. Os Cavaleiros de Ouro tem uma página pra cada também e várias passagens e narrativa da série clássica das 12 casas estão presentes. Mas a verdade é que a gente nem liga, a gente quer mesmo é ter todas as figurinhas e ficar babando em cima.

Brinde !

Sim um brinde especial que acompanha o álbum, que é um pôster que traz as 12 casas como mostrado no anime, só que com espaço pra colar as 12 armaduras de ouro das figurinhas de vinil especiais. Adorei esta idéia. São figurinhas de formato normal, porém com transparência. Então, você cola ela em qq lugar e somente a armadura aparece. Fora que o pôster é lindo ! 

Uma das coisas mais legais disso tudo é que o álbum mantém o visual, mantém o design, e não se preocupa em atualizar nada e nem redesenhar. Apenas cumpre o propósito nostálgico que é a gente lembrar exatamente como era o desenho, com uns quadros e momentos clássicos, personagens marcantes e figurinhas com uma qualidade de impressão e material que eu realmente não tenho queixa alguma.

Pra não dizer que tudo são flores, tem um ou outro texto que você percebe uma falta de pesquisa dos redatores. Ainda hoje acaba acontecendo de um tradutor ou mesmo ou redator não ser o especialista no assunto do que edita, mas ao mesmo tempo, em um álbum que o foco é o visual, duvido que 90% dos colecionadores vão ler e os que lerem, não se importarão com isso, assim como eu não me importei.

Tiragem extra

Com apenas uma semana do lançamento, o sucesso foi tão grande que a Panini já encomendou uma nova tiragem do álbum porque a procura foi enorme. Estou curioso pra encontrar os marmanjos como eu que estão fazendo esta coleção “de criança“. Todo mundo sabe que a criança dentro de nós nunca morre. Portanto, é esta criança que também quer ver seu adulto feliz e sabe onde fica a carteira, que vai lá e investe os R$ 6,90 do álbum e os R$ 1,50 nos pacotinhos de figurinhas, não é ? 

Aliás, os pacotinhos vem com 5 figurinhas e não tem figurinhas difíceis! E se você é do tipo que não quer ficar comprando em banca ou tendo que trocar com os amigos, pode entrar no site da Panini e comprar de 40 em 40 as figurinhas até completar o álbum. Eu não faço isso, a graça está na jornada e não no final. Adoro trocar, conversar com as pessoas, correr atrás daquela ultima que falta. O álbum completo é a meta e o troféu. Mas o tesão da coleção está em seu processo de seu preenchimento !

Fiz um video com o unboxing quando ele chegou, que você pode assistir aqui !

Outra coisa, se por algum motivo não tiver na sua cidade, encontre direto na loja online da Panini, aqui: http://loja.panini.com.br/

Está colecionando ou pensando em colecionar ? Comente aí embaixo o que achou do álbum e se quiser trocar repetidas, me chama !

Abraços do Quadrinheiro Véio !

 

Leia também sobre os Quadrinhos de Avatar, aqui !!

A Origem e a Lenda de Obi-Wan Kenobi – Resenha do Véio

A Origem e a Lenda de Obi Wan Kenobi

Olá, Quadrinheiro !

Quando eu recebi este livro pra fazer a resenha, me senti muito contente. Como leitor antigo de literatura de Guerra nas Estrelas ( aliás, o simples fato de falar “Guerra nas Estrelas” ao invés de Star Wars, já embute o adjetivo “antigo”, tornando a frase um pleonasmo… heheheh ), sempre que posso ler um livro que ainda não tive a chance de ler, é uma oportunidade feliz.

A Origem e a Lenda de Obi-Wan Kenobi é uma leitura bem divertida, rápida e nostálgica. Lançado em 2008 com o título original de “The Life and Legend of Obi-Wan Kenobi“, o livro que era cânone, passou a fazer parte do universo Legends depois que a franquia foi vendida para a Disney. A edição que recebi foi lançada pela Universo dos Livros, pelo selo Universo Geek. O livro tem excelente qualidade, páginas amarelas com letras pretas, tamanho de fonte excelente pra leitura e leve pra segurar, já que são aproximadamente 190 páginas de história apenas.

Que acontece ?

Capa originalA história do livro é basicamente uma biografia do cavaleiro/mestre Jedi Obi-Wan Kenobi. Iniciando desde sua infância, o momento em que ele fabrica seu primeiro sabre de luz, e vai até ano após a morte do velho Mestre Jedi. É basicamente uma recapitulação um pouco mais detalhada dos 6 filmes, só que sob o ponto de vista de Obi-Wan Kenobi. Temos momentos mágicos com seu mestre Qui-Gon Jinn, momentos com o jovem Anakin, revivemos as passagens dos filmes, com os mesmos diálogos reproduzidos no cinema, e algumas lacunas são preenchidas com histórias não mostradas, como seu período no deserto de Jundland em Tatooine, algumas passagens de Anakin em seu treinamento, todo o pensamento do Mestre Obi-Wan além do que ele dizia nos filmes, a origem do nome Ben Kenobi e como ele aprendeu a se unir a Força com o espirito de Qui Gon Jinn. Suas motivações, sentimentos, medos… a proteção do jovem Luke e também o que houve com ele durante sua estada na Força após “O Retorno de Jedi“.

Capa alternativa originalUma das coisas que mais gostei no livro, é que ele começa com Luke Skywalker a procura do congelado Han Solo em Tattooine. Logo após os eventos de “O Império Contra-Ataca“, Luke procura Han Solo e Boba Fett e neste meio tempo retorna à casa do velho Kenobi em Tatooine com a esperança de conseguir um novo sabre de luz e encontra um velho diário. É através deste diário que Luke aprende a fabricar seu sabre novamente e conhece um pouco mais da história dos Jedi e descobre realmente o que aconteceu com seu pai. Tudo sob o ponto de vista de Kenobi. São vários momentos do livro em que temos esta “paradinha” da história de Obi-Wan pra acompanhar Luke.

O livro é muito bom. Eu apenas confesso que nas partes que eram exatamente iguais ao filme, senti alguma ansiedade. Basicamente mais da metade do livro se passa nestes momentos que você já conhece, e isso gera alguma quebra o ritmo na hora da gente se manter conectado, já que fiquei bem ansioso com as partes inéditas com o personagem. Entenda que é legal pacas a gente saber sobre o pensar do velho mestre, mas ao mesmo tempo, a gente quer que passe isso logo pra ver o que tem de novo, do que não sabemos ainda. Acho que é só isso que “pegou” na leitura. Mas considerando que é um livro leve, curto e basicamente biográfico, é algo esperado.

O final do livro é emocionante, daqueles que fazem justiça ao legado de um personagem tão importante quanto. É aqueles casos de toda biografia, você sabe o que vai acontecer, mas quer sentir os detalhes e isso foi muito bem feito. Ainda queria que tivesse mais aventuras inéditas do velho Obi-Wan, assim como tem em outros livros e possivelmente, no anunciado filme solo do personagem.

A história também recebeu uma quadrinização, e alguns momentos bem legais foram transformados em imagens, como esta abaixo. Deixo aqui só pra aguçar um pouco a sua curiosidade sobre uns dos momentos inéditos da história do velho Ben.

Quadrinização do Livro - A Origem e a Lenda de Obi-Wan Kenobi.
Quadrinização do Livro – A Origem e a Lenda de Obi-Wan Kenobi.

Quem autora ?

O escritor é Ryder Windham, autor de diversas novelizações de Star Wars ( o que explica bastante estes trechos dos filmes na narrativa ) e também lançou livros com a mesma idéia, um do Luke, chamado : Uma Nova Esperança: A vida de Luke Skywalker ( que está comigo para ler também, e será a próxima resenha ) e também A Ascensão e Queda de Darth Vader. Todos pela Universo dos Livros. Este do Vader eu também irei adquirir, obrigatoriamente ! Acho que só por este comentário, você já pode sentir que eu gostei bastante do que eu li.

Recomendo a leitura de A Origem e a Lenda de Obi-Wan Kenobi. Acho que mesmo sendo Legends, é uma leitura muito legal. Já lí muitos livros de Star Wars, e nem todos são tão divertidos e nostálgicos como este.

O Universo Legends tem fidelidade cronológica dentro dele mesmo, já que era o antigo cânone de Guerra nas Estrelas. É muito rico, com grandes momentos maravilhosamente escritos. E eu recomendo fortemente a leitura de muitos títulos que levem este selo.

Abraços do Quadrinheiro Véio !

 

Avatar – A Promessa

Avatar – A Promessa

Avatar A Lenda de Aang - A Promessa Parte 1.PDF-000Se você não conhece o desenho animado AVATAR –  A Lenda de Aang ou O Último Dobrador do Ar, nem continue. Aliás, que tipo de geek é você ? Brincadeira. Eu só fiz esta piadinha porque eu acho este desenho tão sensacional que penso que deveria ser patrimônio da humanidade e estudo obrigatório. Tanta aventura, ensinamentos, equilíbrio, jornada do herói e muitas coisas legais que são apresentadas neste desenho animado que teve apenas 3 temporadas e deixou muita saudade.

Está certo que teve uma continuação, em AVATAR – A Lenda de Korra, que se passa 70 anos depois do final da saga do Aang e teve 4 temporadas muito boas também. Sendo Korra a Avatar seguinte, tinha muita coisa legal pra mostrar. Enquanto Aang é um dobrador do Ar, Korra é a encarnação seguinte, nascida na Tribo da Água do sul. E como todo Avatar, sempre dá um passinho a mais nos poderes.

Entretanto a gente ficou com saudades de saber o que veio entre as duas. O que houve entre as duas épocas ? A guerra de 100 anos acabou, mas e o mundo, como ficou ? 

001A Editora Dark Horse Books resolveu nos brindar com um pouco desta resposta, através de 4 mini-séries de 3 partes, onde os personagens que a gente aprendeu a se apegar continuam sua mudança no mundo. A primeira delas foi batizada de A PROMESSA.

Basicamente, e sem entregar muito da história, logo após a Guerra de 100 anos, Aang, Zuko, o rei da Terra e os lideres das Tribos da água criaram o que seria chamado de Movimento de Restauração Harmonia. E uma das ações é devolver à nação da terra, as colônias da Nação do Fogo criadas durante a ocupação do Senhor do Fogo Sozin.

Após um ano, e ao chegar à maior colônia, o atual Senhor do Fogo Zuko percebe que não vai ser assim tão simples, já que se passaram muitos anos e a colônia evoluiu, se tornando uma cidade mista que convive bem com as duas culturas e que separar não seria algo tão simples.

008Mas o que seria a promessa do título da mini-série ? Bem, o Zuko faz o Avatar Aang fazer a seguinte promessa: Se Zuko começar a agir como seu pai, não importa o que aconteça, ele deve derrotá-lo para que a história não se repita.

No decorrer da história, percebemos que não está sendo fácil pro novo e inexperiente Zuko ter a atitude e sabedoria necessárias para se guiar toda uma nação à tantos anos doutrinada pela guerra e pela violência.

Além da história principal, temos a criação da Academia Beifong de Dobra de Metal, onde a “maior dobradora de terra do mundo” Toph, começa a ensinar a dobra de metal pra dobradores de terra interessados e precisa enfrentar alguns desafios no meio do caminho também.

Entretanto, o grande desafio está nas mãos de Aang e Zuko. Como chegar ao meio termo ? Como manter a harmonia ?

Velocidade

Avatar A Lenda de Aang - A Promessa Parte 1.PDF-006Esta mini-série é uma das mais legais das 3 que eu pude ler. Sendo a primeira, ela conta de maneira muito fiel à animação com todas as recorrentes referências, piadinhas, comportamentos e principalmente as lutas. As personalidades estão perfeitas, as falas, e o traço. Parece até que o roteiro e desenhos foram feitos pelos próprios responsáveis pelo desenho animado. O roteiro é de Gene Luen Yang e arte do coletivo Gurihiru.

Se você é orfão de Avatar – A Lenda de Aang como eu, precisa ler A PROMESSA, com tempo pra curtir cada momento, cada imagem, cada fala. Um delicioso retorno, com as risadas que só a turminha dos dobradores poderia trazer e com os ensinamentos orientais reflexivos que este desenho ensinava com tanto louvor.

Tem mais sim !

As três mini-séries seguintes, A Busca, A Fenda e Fumaça e Sombra, vão receber suas resenhas em breve aqui também.

Em A Busca, Zuko leva Aang, Sokka, Katara e sua irmã desequilibrada Azula pra uma busca por sua mãe, que sumiu logo que seu avô Azulon morreu e seu pai Ozai assumiu o trono.

Em a Fenda, o equilíbrio entre o mundo espiritual e o mundo humano está abalado e o Avatar precisa ser a ponte para restaurá-la.

Recomendo fortemente !

Abraços do Quadrinheiro Véio !

Assine o canal do YouTube: http://www.youtube.com/oquadrinheiroveio

Avatar A Lenda de Aang - A Promessa Parte 1.PDF-038
Avatar – A Promessa

Avatar A Lenda de Aang - A Promessa Parte 1.PDF-035

Avatar A Lenda de Aang - A Promessa Parte 1.PDF-024

0087

0084 0081

006

Beltranos e Beltranas – Livro e Projeto Catarse

Fala Galerinha, Beleza ?

Tem um projeto que conheci na CCXP no ano passado que achei muito legal: Fulanos e Fulanas e Ciclanos e Ciclanas. Do quadrinista Pedro Hutsh Balboni.

Este ano ele fecha um terceiro livro, mesma pegada : Beltranos e Beltranas.project_thumb_facebook_170701JOA022_CapaCatarse

Último livro da trilogia “Fulano, Ciclano, Beltrano” completa a reunião de 150 artistas em torno de… joaninhas.

Beltranos e Beltranas, do quadrinista Pedro Hutsch Balboni, é o terceiro livro da coleção independente e busca financiamento no Catarse.

O quadrinista independente convidou mais 50 artistas para reinterpretarem tirinhas selecionadas entre as mais de 1.200 tirinhas do seu trabalho, totalizando 150 artistas na coleção.

joaninhas_debora

Os personagens são joaninhas, protagonistas da série online Joãos e Joanas (www.joaoasejoanas.com). O tom das tiras é de humor com filosofia, e a abordagem visual traz personagens estáticos, a história se passa nos balões de fala.

A proposta deste projeto é transformar esses insetos de acordo com o estilo de cada um desses artistas, mantendo o mesmo texto original.

O autor já tem mais de 10 livros publicados, todos de forma independente. Ele também tem outras três campanhas de financiamento coletivo no portfólio, todas bem-sucedidas, sendo esta sua quarta campanha.

Ela fica no ar até o dia 8 de setembro. Além de brindes exclusivos, descontos especiais, e ter o nome impresso nos agradecimentos do livro, existem metas estendidas que foram criadas para acelerar a campanha.

JOAOS_E_JOANAS_UHM_copy_-_Will_Leite

A primeira já foi atingida: os 50 apoiadores do primeiro dia ganharam junto com seu apoio o livro “Conto Brasileiro – Romance de uma Situação Crônica”, também do autor. Agora, se forem atingidos 150 apoios até o dia 31/07, todos os apoiadores irão receber um livro “Beltranos e Beltranas” extra. E se o projeto atingir o dobro da meta, os apoiadores ainda recebem um Vale-Tangram, para retirar a HQ com o autor em algum evento.

Vale-a-pena-participar-da-campanha.

SERVIÇO

PROJETO COLABORATIVO PARA FINANCIAR O LIVRO BELTRANOS E BELTRANAS

QUANDO Até 08 de Setembro

ONDE Site do Catarse (projeto no Catarse)

QUANTO Há várias recompensas. A mais simples é de R$20 e garante o livro Beltranos e Beltranas com direito a nome nos agradecimentos.

CLASSIFICAÇÃO Livre

Mais informações: beltranosebeltranas@gmail.com

Abraços do Quadrinheiro Véio !

Astronauta – Magnetar

Astronauta – Magnetar

Olá Quadrinheiro.

downloadTem uma linha de publicações da Panini e da Maurício de Sousa Produções que é chamada de Graphic MSP. Não sei se todo mundo conhece, mas basicamente ele convida artistas diversos para produzir Graphic Novels com seus personagens. Eu acho a idéia simplesmente genial ! Acho que todo mundo hoje, todo jovem e até alguns adultos com mais de 50 anos, conhece e cresceu lendo a turma da Monica. Então, é natural que pra todo artista brasileiro estes personagens sejam referencia. Pra muitos, o primeiro contato com quadrinhos, quiça onde aprenderam a ler.

Quando eu soube deste lançamento eu me balancei comprei alguns. O primeiro que eu li foi “Pavor Espaciar” do Chico Bento ( leia aqui a resenha ). Agora venho te falar da excelente MAGNETAR, estrelada pelo Astronauta.

gmsp1A gente cresce lendo a turminha principal. É normal a gente ler a Monica, Cebolinha, Cascão e Magali. Depois tem os personagens mais eventuais, como Franjinha, Bidu e demais co-adjuvantes. Com alguma sorte, sempre tem alguma do Bugu, Louco, Mingau, turma do Penadinho e do Astronauta. O Astronauta foi a resposta do Maurício de Sousa nos anos 60 aos quadrinhos de ação americanos, e também uma forma de poder expressar pensamentos filosóficos enquanto seu explorador singrava o espaço infinito em busca de aventuras, ao mesmo tempo que sentia uma saudade danada de casa. Enquanto ele poderia expressar os pensamentos mais profundos através do dinossaurinho Horácio, era através do Astronauta Pereira, membro da BRASA ( Brasileiros Astronautas ), ele ele filosofava sobre a vida e motivações para se manter focado perante a solidão.

Sem títulogrt2Magnetar é um pouco disso também, é a releitura de Danilo Beyruth sobre um herói que singra o espaço solitário e acaba se vendo preso a um mundo inóspito, cujas comunicações não conseguem escapar ao campo magnético fortíssimo. Ao mesmo tempo que tem aquela referencia ao Astronauta original, Beyruth solta a criatividade e converte nosso herói brasileiro em um típico quadrinho estilo americano, adulto, profundo, questionador, sobrevivente. É muito bem produzida, bem desenhada, com texto muito bem escrito. Uma HQ que consegue te deixar desesperado e mesmo sabendo que o herói deve sobreviver ao final do livro, você fica o tempo todo com medo de que ele não consiga. Porque tudo é no limite da sobrevivência.

E a vida é frágil demais. Se aqui dentro do nosso ecossistema já é deste jeito, imagine no espaço ? Onde qualquer erro é totalmente fatal. Isso tudo é aliado à conceitos pseudo-científicos deliciosos que servem de pano de fundo apenas para levar o leitor  a questionar dentro de si mesmo o que faria no lugar do “naufragado” explorador que deixou-se levar pelo maravilhamento de um magnetar

Danilo Beyruth - Astronauta, Magnetar 2Magnetar é sobre solidão, sobre naufrágio, sobre como se virar pra sobreviver e escapar. Sobre entender seus valores, buscar dentro de si uma razão pra não se entregar. Encontrar razões que façam valer o esforço de não apenas permitir o cessar da sua vida, da sua existência. O resgate do “eu” mais íntimo de uma pessoa, em seu entendimento. Quando todo o esforço pra viver se torna tão grande que é preciso encontrar no âmago de sua alma a resposta da pergunta: ” O que poderia fazer valer todo o trabalho e esforço necessários pra eu sair daqui ?”. Quando se está sozinho, a mente é a única companhia. E a mente criativa pode ser um grande monstro dependendo da sua tendência psicológica. Lutar contra a loucura e o desespero é o que faz o mais equilibrado dos humanos ser colocado a prova.

Magnetar de Danilo Beyruth é isso. Isso e mais um pouco.

Recomendo a leitura.

Abraços do Quadrinheiro Véio !

Magnetar4-660x322

Guia: Vertigo

Guia: Vertigo

Olá Quadrinheiro. Te convido a ler mais um artigo muito bem pesquisado e elaborado pelo Danilo Gonçalves, do Canal “Mestres do Universo. Desta vez, sobre o Selo Vertigo, da DC Comics.

=========================================

Estamos de volta com o nosso guia de como começar a ler quadrinhos e dessa vez vamos falar sobre a minha editora de quadrinhos favorita! O quê? Sim, minha editora de super heróis favorita é a DC Comics, porém a minha editora de quadrinhos favorita é a linda e querida VERTIGO!

No inicio dos anos 90 a DC Comics anunciava a Vertigo, um novo selo da DC que focaria em histórias mais adultas, mais pesadas. Em um momento onde a arte era muito mais importante que a história, a Vertigo chegava pra revolucionar o mercado dos quadrinhos. Valorizando o roteiro muito mais do que o impacto visual, a Vertigo subvertia o gênero e apresentava Graphic Novels que beiravam a perfeição! 

Dentro dessa proposta a Vertigo lançou verdadeiras obras primas dos quadrinhos, histórias fantásticas sobre medo, opressão, desespero, preconceito e muito mais! Aqui vou te indicar sete HQs para leitura, mas leia o que puder da Vertigo, sério, leia tudo se puder!

Vamos a elas!

a-saga-do-monstro-do-pantano-livro-um-panini1° Monstro do Pântano: Alan Moore, Stephen Bissete e John Totleben   

Uma das melhores histórias de Alan Moore, e uma das primeiras publicações do selo Vertigo, Alan Moore dá uma nova e definitiva abordagem ao Monstro do Pântano. Já nas primeiras páginas sua cabeça explode e assim continua até o fim, uma história linear que mantém o alto nível até o quadrinho final! Alan Moore no melhor de Alan Moore em uma história de terror que te submerge de forma fantástica, com um desenvolvimento de personagens surreal e que te surpreende a cada linha! Leia O Monstro do Pântano!

2° Preacher: Garth Ennis e Steve Dillon.

preacher 2Se você tem algum problema com críticas à religião ou blasfêmias, pule para a próxima indicação! Preacher conta a história do pastor de uma cidade do Texas,  Jesse Custer que após se fundir com a entidade Genesis ganha o poder da “Palavra de Deus”. Através dela qualquer pessoa obedece todas as ordens de Jesse. Não vou falar muito sobre o roteiro, porém Jesse e seu bando saem em uma jornada épica pesada e incrivelmente roteirizada por Garth Ennis. Preacher é incrível, se você gosta desse tema, religião, anjos, sexo, violência escatológica e tudo de ruim do mundo, leia Preacher!

3° Sandman: Neil Gaiman

sandman-4Mais uma obra de arte dos quadrinhos, o que Neil Gaiman cria em Sandman é absolutamente Fantástico! Somos apresentados a Morpheus, o “Rei do Sonhar”, e não falarei mais nada sobre a história! Basta você saber que Sandman engloba quase tudo sobre o ser humano, sobre suas crises, medos e principalmente seus sonhos! Uma história sem clichês e com o peso necessário para criar um universo surpreendente! Sandman é essencial pra qualquer fã de quadrinhos!

4° Hellblazer: Jamie Delano e John Ridgway

hq-john-constantine-hellblazer-vol-1-original-sins-8395-MLB20003510841_112013-FUma das melhores fases de John Constantine. Os lançamentos da Vertigo para este personagens são fantásticos. Histórias pesadas cheias de mistério e o universo de Constantine elevado a 10 potência!!

5° Sweet Tooth: Jeff LemiredBlRkxW
Um universo pós-apocalíptico em que todos são híbridos!! Exatamente. Este é o universo dessa incrível história, após uma doença conhecida como flagelo destruir a humanidade. Apenas essa nova espécie de híbridos sobrevive. Gus é o personagem principal, um garoto com traços de cervo nos acompanha nessa incrível história em um dos melhores futuros distópicos que já foram apresentados pra mim!

6° 100 Balas: Brian Azzarello e Eduardo Risso

100-Balas-Volume-01_20130707_0001A incrível história de Brian Azzarello teve exatamente 100 edições entre 1999 e 2009, e nos apresenta ao agente Graves de quem pouco sabemos! Graves entrega a pessoas que sofreram injustiças uma maleta com 100 balas e uma licença para matar! Executando assim a vingança! Muito mais do que apenas isso, Graves conhece a fundo as limitações de cada uma dessas pessoas. E a história se desenvolve muito mais no conflito de cada um que recebe a maleta do que nos assassinatos! E no final a questão: Matar é tão fácil assim? Uma incrível história!

7 ° V de Vingança: Allan Moore, David Loyd

v-de-vingança-hqEm um futuro distópico um governo ditador e fascista governa a Inglaterra após um ataque nuclear. Uma nação com seus direitos e liberdades esmagados e em meio ao caos surge um revolucionário para enfrentar o poder do governo. V de Vingança é muito mais que uma simples história, é um retrato da forma como Alan Moore enxergava o mundo em meados dos anos 80, uma aula sobre a liberdade e a política. V de Vingança além de um clássico é uma história capaz de alterar a sua percepção de mundo! Mais uma obra prima do Mago dos Quadrinhos!

Essas foram as nossas indicações da Vertigo para a sua leitura. Claro que poderíamos facilmente passar o resto do dia inteiro aqui lendo sobre grandes histórias lançadas pelo selo. Então conheça a editora, pesquise outras histórias, e aproveite o melhor que a Vertigo tem para oferecer!

Danilo Gonçalves, 26 anos, designer e fundador do Canal “Os Mestres do Universo”

Facebook: https://www.facebook.com/canalosmestresdouniverso/

YouTube: http://www.youtube.com/c/OsMestresdoUniversomdu 

VéioCast #8: GoT, Liga da Justiça e mais nerdices

VéioCast #8: GoT, Liga da Justiça e mais nerdices

Pra você que curte um podcast, chegamos ao VéioCast #8, fechando nosso segundo mes de áudio informativo e cheio de opinião. Esta semana falamos de Dame of Thrones, filme da Liga da Justiça, a morte do Prof. Girafales e do novo Chekov de Star Trek, Anton Yelchin e mais umas nerdices.

Espero que goste e se preferir, pode ir no YouTube e ouvir o mesmo áudio:

www.youtube.com/oquadrinheiroveio

Abracos

O Quadrinheiro Véio