sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Jiin- Fúria de Felipe Watanabe

capa-jiin

Jinn – Fúria

Olá Amigo Leitor !

jiinJiin é uma daquelas publicações que você pode ter certeza de que sofreria muito ao saber de sua existência e não pudesse lê-la. Eu tive a grata surpresa de ser uma das melhores coisas que eu li nestes últimos anos. E ao longo deste post vou tentar te explicar os motivos. Eu não sei se irei conseguir, porque foi uma excelente experiência e é lamentável não ter a continuação ainda. 

Eu conheci Jiin por acaso em um evento aqui em São José dos Campos. Iria fazer uma mediação no palco com um desenhista que era conhecido por desenhar o Flash, Cyborg e os Novos Titans pela DC e ter passado pela Marvel em Homem de Ferro. Ainda não conhecia seu trabalho, mas fiquei bem curioso já que ele tinha toda esta bagagem. Fui apresentado ao seu criador, Felipe Watanabe e achei o cara tremendamente simpático. Logo de cara já abriu aquele sorriso enorme, muito gentil e me apresentou seu projeto autoral: Jiin ! A primeira vista o visual já impressiona, no traço dele fica mais impressionante ainda. Tenho a impressão de ter re-encontrado uma veia artística perdida a um bom tempo ao ser apresentado ao Jiin.

Quem é Jiin ?

posterPrimeiro vou te contar quem é o tal Jiin. Este nome pequeno tem uma força enorme. Jiin é o nome de um kata do karatê. Uma sequencia de movimentos. Pra mim remete também ao final de gaijin ( estrangeiro ), e como ele é um guerreiro, me lembra Sayajin, a raça dos guerreiros do planeta Vegeta do anime Dragon Ball. E “jin” com um “i” apenas, significa “pessoa“. Todas as minhas percepções me soam ótimas quando se lê a HQ. Todas fazem jus ao personagem.

Jiin é um mecânico ( sim, pasmem ) que tenta sobreviver a um mundo que passou por um apocalipse demoníaco. O ano é 2068 e a uns bons anos antes, o inferno chegou à Terra e os demônios dividem a paisagem desértica com os poucos humanos sobreviventes. E como não poderia deixar de ser, existe uma “Resistência” à estes invasores e Jiin é tipicamente o Lobo Solitário. Não se encaixa na resistência e tem seu próprio jeito de fazer as coisas, de lutar contra os diabos. Tudo isso sem super poderes. E isso se dá através de um ringue, onde demônios e humanos se degladiam para o deleite de uma plateia em que sobreviver é o que conta neste momento. Os demônios ainda não apresentaram poderes mágicos, e não creio que eles vão se enveredar pra isso. Mas sinto que existe uma forma de conversão de humanos em demônios, mas posso estar enganado… não sei.

Herói de Mil Faces

jiinO que eu achei legal é ver a clássica jornada do herói sendo contada de novo, de uma maneira nova. Eu achei o roteiro muito criativo. Embora tenha elementos comuns, tais como apocalipse, herói resistente a ser herói e que conta com um tutor mais velho, demônios, pessoas fortonas, resistência, etc… o diferencial está em ver tudo isso junto, sendo bem feito, de forma coerente. Jinn tem uma criação original e profissional. Qualquer um pode escrever uma história com estes elementos. Fazer bem feito, é pra poucos. Eu gostaria até de ler um livro neste universo, porque a base foi bem estabelecida e a gente termina a revista esperando muito pela continuação. Não vou extender mais pra não correr o risco de mandar algum spoiler, mas pode comprar sem medo. Mas a primeira coisa que você precisa sempre considerar e é por isso que eu digo que é uma HQ excelente é que é desenhar e roteirizar um personagem que já existe é bem mais simples e fácil do que começar um personagem e todo um universo do zero. Não é apenas a história que você precisa criar, mas toda a “cama”. O mundo, o ambiente, a situação, a sociedade… a história daquele lugar onde se passa tudo. Antes de colocar o homem, Deus criou o mundo, certo ? Nas HQ’s é exatamente o mesmo.

CCXP

img_6231Embora eu tenha conhecido sobre o personagem antes, foi apenas la Comic Con Experience que a revista foi oficialmente lançada. E é claro que eu estava lá, já que queria o meu exemplar “fresquinho”. Cheguei sorridente na mesa do Felipe, que tinha seu parceiro e co-autor Matheus Lopes a seu lado e a minha já estava lá, me esperando. Comprei ! Mal podia esperar pra chegar em casa e ler. Achei muito legal ver uma fila de pessoas pra comprar a revista, muita gente esperava ansiosamente pelo lançamento de Jiin. Garanti meu autografo na hora !

Autores

vooAlém de ter o roteiro e traço do Felipe Watanabe, Jinn recebeu o cuidado de uma ação conjunta na sua argumentação. O colorista Matheus Lopes também é um dos pais do livro e toda a cor é dele. O rapaz sabe o que faz, tem uma percepção de profundidade muito boa e teve a sensibilidade de escolher uma paleta mais pastel, um amarelo avermelhado, que cai muito bem pro clima desértico apocalíptico que a revista apresenta. Tudo tem sujeira, noites são escuras, cores fortes, lisas, contra-balanceadas com sombreamentos e texturas pra profundidade.

Uma arte digna de Graphic Novel. Revista grande, capa acartonada, páginas em papel de qualidade. Jiin merecia realmente estar em uma publicação de linha, mensal. Porque este tipo de argumento é capaz de gerar muitas situações excelentes. Tem alguns momentos que me lembra X-Men 2099 ao mesmo tempo que atualiza tudo. E, cá entre nós: Quem não curte um apocalipse ?

Se você curte quadrinhos assim, esta revista precisa ser lida. Recomendo bastante !

Siga o Facebook do Jiin aqui: https://www.facebook.com/hqJIIN/

Abraços do Quadrinheiro Véio

img_6233

img_6232

demonios

About The Author

Foto de perfil de O Quadrinheiro Véio

Sou um leitor de Quadrinhos e fã de cinema desde que me entendo por gente. Minha primeira "revistinha" ganhei da minha mãe em 1983 e desde então não parei mais de ler. Portanto este é um blog de um cara que começou a ler HQs há mais de 30 anos e continua apaixonado por este universo !

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *