quinta-feira, 16 de agosto de 2018

Motoqueiro Fantasma – Estrada para a Danação

Olá Quadrinheiros.
 
Perdoem esta semana sem posts, não posso nem dizer que foi por causa do Carnaval, porque não curto esta festa ridícula, mas foi por não estar com “saco” pra escrever mesmo.
Esta semana peguei minha edição da coleção Salvat, a Motoqueiro Fantasma – Estrada para a Danação e confesso que já fui muito fã das estórias do cabeça de fogo, mas havia me distanciado um pouco. Em matéria de sobrenatural sempre gostei mais da DC e na Marvel só o Motoqueiro salvava mesmo. Eis que esta edição me veio como um solapo na bochecha, porque eu realmente gostei muito. Me lembrou até os tempos bons de Spawm.
Nâo vou ficar contando a origem do personagem, acho que todo mundo já sabe que ele fez um pacto mal sucedido com Mefisto ( aliás, minha personificação do mal de HQ preferida. )
Pra começar eu não sabia que o Motoqueiro estava preso no Inferno, e pelo roteiro, já tinha 2 anos que ele andava perdido por lá. Todos os dias lutando pra fugir e todos os dias sendo destroçado pelos demônios e sendo reconstruído no dia seguinte e vivendo esta agonia.

 Até que um anjo Malachi ( que me lembrou o Mal’akh do livro do Dan Brown. Mal’akh é o nome do vilão do livro “O Simbolo Perdido”, e é o nome de um anjo caído ) chega e pede que ele ajude a pegar um demônio que fugiu, um tal Kazann e pra isso tiraria ele do inferno e depois de feita a missão, daria liberdade pra ele. Sempre curto estes lances de anjos contra demônios e etc… acho muito bacana, ainda mais quando colocam estes demônios como nem tão maus e burros e os anjos como nem tão bons e espertos. 

Aliás, adoro quando retratam os anjos como invejosos e é o que podemos ver nesta estória. Além disso temos um Motoqueiro bem fantasmagórico, bem focado no que ele quer, falando pouco, agindo mais, só pensando na sua recompensa.
Vemos pouco de humanidade dele, exceto o principal: sua sede de liberdade !
Tem um anjo e um demônio que estão ao encalço de Kazann também. O Demonio Hoss é bem engraçado, lembra até o comportamento do Violador enquanto palhaço do Spawn, embora o visual nem tanto. Já o anjo é uma mulher de nome Rute, que bota pra quebrar. Totalmente séria e sanguinária, sai matando qualquer um pra chegar onde quer. A violência dela é impressionante. É tããão bom ver violência deste nível nas HQ´s de novo. ( heheheh ).
Escrita muito bem por Garth Ennis, o roteiro segue uma linha dramática, diálogos muito bem escritos e um humor meio escrachado, bem no estilo dele. Piadinhas dos demônios, enganações e uma boa virada no final. Só é uma pena que não seja mesmo uma Graphic Novel, mas a reunião das 6 primeiras revistas do Volume 4 de Ghost Rider. Pena porque não tem um final, apenas uma conclusão e você fica querendo saber o que acontece depois. 
 
De qualquer forma, vale muito a pena, até mesmo porque os desenhos de Clayton Crain são verdadeiras obras de arte, muito bem desenhados, e principalmente pintados. Todo o seu desenho é feito de modo digital, e podemos perceber isso. Eu que torço o nariz pra algumas tecnologias tenho que dar o braço a torcer porque nesta edição da coleção da Marvel o cara detona.
 
Recomendo a leitura, não dá vontade de largar o livro até terminar. Acho que toda HQ deveria ser assim, mexer com nosso emocional, fazer a gente torcer pelos personagens, até ficar especulando o que virá a seguir e ainda ser surpreendido no final.
 
Ufa !!
 
Abraços do Quadrinheiro Véio !

About The Author

Related posts

6 Comments

  1. Anônimo

    eu tenho essa HQ n conhecia mt bem as histórias do Motoqueiro a li e gostei mt tem uma boa dose de ação e humor(negro)gostei msm

  2. Maxwell Soares

    Muito bom cara! Muito bom tem blogger. Estou postando algumas hqs também. Essa série Marvel Salvat estou colecionando. E, assim, como você estou fazendo postagem no meu blogger que desde já o convido a fazer parte dele. Esta Hq é fantástica e arte um estrondo. Vou olhar com mais paciência seu espaço. Já será pra mim uma parada obrigatória. Um abraço…

Comments are closed.