quinta-feira, 19 de outubro de 2017

O Incrível Hulk – Gritos Silenciosos

Olá Quadrinheiro !

HulkSeja bem vindo. Este meu retorno ao blog me deixo animado. Não sei quanto a você, mas eu gosto muito de escrever e partilhar as minhas impressões sobre HQ’s, principalmente as mais antigas. E hoje eu comento O Incrível Hulk – Gritos Silenciosos, que reune as edições 370 à 377 de The Incredible Hulk, publicadas nos EUA entre 90/91. E esta publicação é muito legal, principalmente porque entra na Psique do Hulk de uma forma que não havia entrado antes. Colocando uma raiz mais emocional/psíquica do que apenas física para o “gatilho” da transformação do Banner e entrando no campo da psicologia/psicanálise que é um campo que eu, particularmente, adoro !

Hulk Gritos SilenciososBom a historia começa com o Hulk naquela fase cinza, em que o Mr. Tira Teima vivia em Dallas e era um “Leão de Chácara” de cassinos. Então ele resolveu sair de lá e procurar a Beth Ross, já que o Banner havia se casado com ela num período em que separaram o Hulk do Bruce. Pouco depois, tiveram que juntar os dois de novo e o Bruce ficou um tempo sendo dado como morto. Uma coisa bem legal deste período do Tira Teima é que ele aparecia de noite e o Bruce de dia. E eles mal se conversavam. Era realmente um período de Dupla Personalidade, em que ambos sabiam um do outro, sabiam que um dependia do outro, mas não sabiam os atos entre eles. Tanto que o Hulk teve uma namorada e o Bruce, não. Ao ponto de ela não saber que os dois eram a mesma pessoa. O Hulk namorava, mas o Bruce ainda era fiel a esposa, que nem sabia que ele estava vivo. Olha o tamanho da confusão.

Hulk Gritos SilenciososAo chegar em Nova Iorque, o gigante verde cinza, já começa a encontrar confusão logo de cara, ao encontrar os antigos companheiros dos Defensores e enfrentar um monstro de outra dimensão. E é aí que começa a aparecer este momento mais interno, da psique do Bruce, o ambiente dentro da cabeça dele. Logo de cara as partes mais legais da história vão dando sinais. A luta interna pelo controle é muito legal. Até mesmo porque mostra o que houve com o Hulk verde/burro. O conflito interno é muito louco : Bruce Banner / Hulk Cinza espero e malandro / Hulk Verde Burro e forte. Se a gente for comparar com as instancias instituídas por Freud, acho que poderíamos associar, respectivamente, mas não exatamente à Superego / Ego / Id. E aqui é um pouco da minha área de estudo. O Bruce representa o certo e o errado. Seus valores e limites. O Bruce não é o controle total, ele representa o que pode e o que não pode fazer. Seria o Superego da mente. O Hulk Verde é o Id, representa os desejos primários, o emocional mais puro. Hulk Gritos SilenciososÉ o que a gente poderia chamar de “criança”, que tudo quer, não mede consequências. Tudo é emoção pura e forte. E o Hulk Cinza, neste caso, poderia representar o Ego, justamente porque ele faz uma justa medida. Ele pensa, ele mede o que vale e o que não vale, mas faz uso das suas emoções. Isso é formidável, se não estivesse separado dentro da mente do Bruce. E esta separação realmente enlouquece. Como é uma história mais antiguinha, não vou segurar um spoiler ou outro,ok ? Mas no final da edição acontece a fusão dos 3, em um novo e formidável Hulk Verde. Com uma expressão mais inteligente, unindo os 3 em equilíbrio. E é quando logo em seguida começa a fase Panteão do Hulk, que muita gente execra, mas que eu acho que nem é tão ruim assim. Rendeu até jogo de video game. Uma coisa bacana é que a história já mostra que foi planejada toda bem antes, pois o Panteão começa a dar umas “aparecidas” durante este movimento. O que eu acho sensacional nesta fase, nestas 8 edições reunidas neste encadernado ( longe de ser um Graphic Novel ), é justamente a transição. Um dos poucos momentos inteligentes e respeitáveis do Hulk em vários anos. Eu gosto muito mais do Hulk Verde burro… acho ele mais real, mais legal, interessante e diferente. Mas é legal ver esta fase, que ao todo deve ter durado uns 4-5 anos. E é uma fase “ame ou deixe-o”, pois muita gente odiou e muita gente adorou.

Hulk Gritos SilenciososDurante todo o trajeto desta mudança, Bruce reencontra a esposa Beth Banner, aliás uma das melhores capas é justamente os dois rindo juntos. Uma amostra de amizade, carinho… reciprocidade mesmo. Reencontra o Rick Jones ( fazendo piadinhas à-la Homem-Aranha ), Super Skrull, Dr. Estranho, Namor, Marlo e só faltou o General Ross. E, na boa… acho o Ross chato pra caramba ! Não tem nenhuma historia com ele ( que eu tenha lido ) que eu tenha curtido. Ele virar Hulk vermelho também é uma furada sem tamanho, não ? Eu acho… E também  seria legal ver o Hulk num pega com o Coisa. Sempre gosto de ver isso. Mas, não tinha onde encaixar. 

Peter David assina o argumento. O cara foi muito bem. Nestas 8 edições do encadernado a historia caminha coesa, integra e muito bem amarrada. Ela faz sentido, mesmo quando parece que não. Tudo que acontece serve de pano de fundo pra alguma coisa. A historia verdadeira corre ao mesmo tempo que estas passagens e contratempos aparecem no decorrer dos acontecimentos. Momentos de suspense, de curiosidade, de emoção forte. Faz a gente não conseguir largar o livro. Eu adoro esta pegada do final dos anos 80. Foi uma das melhores fases para se ler HQ ( na minha humilde opinião ). Como eu sempre digo aqui no blog, ler as historias na época em que foram lançadas é muito importante, pois dá um enredo diferente. As HQ’s, assim como toda arte ( e nesta época ainda se faziam historias sem pensar só e somente nas vendas ), refletem o mundo no momento. Por isso que hoje em dia, por melhor que tenham sido algumas HQ’s, ler algo de 1985 não dá tanta emoção quanto ter lido na época. Vide Watchmen e Cavaleiro das Trevas, só pra citar algumas. Se existe um “auge” das HQ’s, eu colocaria entre 83-94, mais ou menos. Em todas as editoras. Este é o meu ponto de vista. Pode discordar a vontade. Aliás, se discordar, comente aí. Isso só colabora pra um blog melhor.

Hulk Gritos SilenciososO desenho é de Dale Keown, que definiu esta nova aparência do personagem que ainda perduraria por um bom tempo. Aliás, tenho a impressão que o visual do Hulk do Filme O Hulk de 2003, com Eric Bana, foi inspirado neste traço. Até a origem dele, tendo o pai cientista gama opressor veio exatamente desta passagem, sem considerar claro a batalha interna na mente do Golias Esmeralda ( hahaha… me divirto com estes apelidos ). Este visual do Hulk mais clean, mais limpo, mais definido, é um traço bacana, embora a personalidade dele não seja a que eu mais gosto, é um dos traços que eu considero mais bonitos.

Se voce não é fã do Hulk mas gostaria de ler algo inteligente do personagem, esta é a oportunidade.
Recomendo a edição.

Abraços do Quadrinheiro Véio !

Hulk387_cover

Incredible_Hulk_Vol_1_376

Hulk387_04

About The Author

Sou um leitor de Quadrinhos e fã de cinema desde que me entendo por gente. Minha primeira "revistinha" ganhei da minha mãe em 1983 e desde então não parei mais de ler. Portanto este é um blog de um cara que começou a ler HQs há mais de 30 anos e continua apaixonado por este universo !

Related posts

8 Comments

  1. Hosting

    Aprofundou tanto a historia e as motivacoes de Banner como do Hulk, e encontrou formas inovadoras de destacar o constante conflito interno entre eles.

  2. Luís Fajardo

    Opa! Texto bacana de uma saudosa fase que presenciei em tempos de publicação por aqui através da ed. Abril, o longo arco de Peter David no Hulk mais o traço de Keown, que emulava um Byrne mais moderno, são inesquecíveis. Possuo todo esse período em scans e pretendo reler brevemente. Só discordei de você achar o Verdão do filme de 2003 ter traços inspirados neste. Achei diferentes, aliás essa é uma característica única nas HQ’s: cada desenhista deu um rosto e físicos únicos para o Gigante, minha opinião, é claro. Considero o monstro na película citada mais parecido com traços antigos tipo Jim Starlin. Enfim, parabéns por lembrar de citar excelentes histórias que sei que poucos conhecem!!

  3. Giulianno Liberalli

    Uma coisa leva a outra, li a matéria do Monstro do Pântano e vi o link do Hulk, outro herói preferido meu e aqui estou, novamente gostei da matéria. Os anos 80 e 90 trouxeram momentos de criatividade que não temos visto muito ultimamente, fomos pegos nos mega eventos anuais para vender revistas ao invés de vender boas histórias, por isso tenho acompanhado muito pouco do que vem saindo atualmente. Esse encadernado do Hulk eu venho esperando desde que a lista da Salvat foi publicada e ele estava no meio, chegando ao final dos 60 lançamentos, estava ficando com medo de que essa não saísse, é um arco muito legal e das melhores fases do HULK, o curioso é que o nome Gritos Silenciosos é da edição The Incredible Hulk 369 e ficou de fora dessa seleção, uma pena porque tem uma das melhores sequências de luta do Hulk. Abraços.

  4. O Quadrinheiro Véio

    Oi Lucas ! Fico muito contente que acompanhe e goste do blog. Este tipo de retorno é um grande incentivo. Eu estava pra escrever sobre o 1602, mas vou pegar o Dinastia M e fazer o artigo, ok ?
    Obrigado e apareça sempre !

  5. Lucas Oliveira

    Boa resenha, vou comprar esse volume do Hulk quando chegar no meu estado, você leu Dinastia m? Se leu você bem que podia fazer uma resenha sobre ela, acompanho seu blog a alguns meses e gostaria de saber sua opinião sobre Dinastia m!

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *