terça-feira, 23 de abril de 2019

Orphan Black – Helsinque by MeepleBR

Orphan Black – Helsinque

Olá Quadrinheiro !

Chegou em minhas mãos um lançamento muito legal em nosso país, que também marca a estréia da editora de boardgames Meeple BR no mercado de quadrinhos do Brasil. Orphan Black: Helsinque é um lançamento de respeito pra uma editora que já tem grandes jogos de sucesso em seu catálogo. Sou suspeito: Adoro jogos de tabuleiro e já gostava da Meeple. Mas vamos falar de Helsinque !

Orphan Black é uma série original Netflix que aborda clones ! E com o objetivo de ampliar mais o universo da série, em 2016 pela IDW foram lançadas algumas séries de quadrinhos e Helsinque é uma delas. Basicamente uma prequel que abre um pouco mais sobre a corporação secreta do projeto Ledas, que cria clones.

HELSINQUE

Nesta primeira edição, conhecemos Veera Suominem. Uma menina de rosto marcado, que tem pesadelos e usa drogas pra se manter acordada. De repente, ela descobre que está sendo observada pelo tio e nota algo estranho. Em seguida, foge e descobre que existe uma menina em uma cidade próxima que é exatamente como ela. Juntas elas partem pela Europa procurando mais respostas, encontram mais clones e perguntas. Um mote bem interessante. Adoro mistério científico misturado com conspirações secretas. 

A história é competente e tem uma narrativa legal. Acreditamos e nos inserimos no contexto e é bacana perceber as personalidades díspares das clones, e a forma como enxergam o “problema”. E a total falta de clareza sobre a tal organização do projeto Ledas também aumenta a curiosidade enquanto se acompanha a leitura.

Autores

Orphan Black: Helsinque é um arco completo e este compilado junta as 5 edições. Escrita por Graeme Mason e John Fawcett, também autores da série de TV, em parceria com Heli Kennedy. Acho que ainda poderiam ter diálogos mais bem pensados, mas gostei do que li. E também a narrativa escrita não me pareceu algo em que os escritores estivessem muito seguros ao fazer. A publicação reune Orphan Black: Helsinki 1 a 5, sendo que a numero 1 foi desenhada por Alan Quah e preciso dizer que o traço dele me incomoda demais. Principalmente os rostos. Achei muito amador. Um traço sem constância, com expressões que não me passaram segurança e nem emoção. É um desenhista que já fez muitos quadrinhos baseados em vídeo-games. Mas a partir da edição 2 até a 5 deste compilado, Wayne Nichols e Fico Ossio assumem a arte e as expressões e quadros melhoram visivelmente. Você percebe as emoções dos personagens, algo que no caso de um quadrinho de drama é essencial.

A edição, adaptação e letras são da super querida Germana Viana, artista brasileira de mão cheia, da qual já falei aqui no sincero P.O.V – Point of View. Traduzido por Maria do Carmo Zanini e revisado por Thais Aux.

Recomendo a leitura. Mesmo pra quem não conhece a série, é um quadrinho competente e marca com sucesso esta estréia da Meeple BR nos quadrinhos no Brasil. Ótima escolha, mal posso esperar pra ver o que mais vem por aí pela editora.

Abraços do Quadrinheiro Véio !

About The Author

Sou um leitor de Quadrinhos e fã de cinema desde que me entendo por gente. Minha primeira "revistinha" ganhei da minha mãe em 1983 e desde então não parei mais de ler. Portanto este é um blog de um cara que começou a ler HQs há mais de 30 anos e continua apaixonado por este universo !

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *