sábado, 21 de julho de 2018

Star Wars – A Guerra nas Estrelas – Volume 1

Star Wars – A Guerra nas Estrelas – Volume 1

imagem.aspxOlá amigos leitores do blog. Quero agradecer imensamente o fato de vocês me acompanharem. Estamos em um momento de transição e a companhia de vocês é muito importante. Não é algo comum termos tanta gente acompanhando um blog de opinião e que busca ter um diferencial em um mar de blogs que falam mais do mesmo. Obrigado pela amizade.

Star Wars – A Guerra nas Estrelas – Volume 1 traz a primeira parte da quadrinização baseada na primeira versão do roteiro original de George Lucas para o que depois viria a ser Star Wars – Guerra nas Estrelas. E alguns detalhes se fazem notar nesta publicação, que eu vou tentar passar mais abaixo. Será bem impossível não dar spoilers, porque merece uma boa discussão.

The-Star-Wars-Comic-full-550x847O Roteiro foi adaptado por J.W. Rinzler. Cabe dizer algumas coisas bem curiosas e antes de mais nada, elogiar o trabalho do escritor. Eu não conhecia o trabalho dele, e mesmo sabendo que é baseado em um roteiro original de cinema, a conversão para a mídia HQ foi muito bem feita. E o traço de Mike Mayhew, que procurou seguir o visual de Ralph McQuarrie faz toda a diferença. Que conhece os estudos visuais de Ralph McQuarrie sabe como seriam as aparências dos principais personagens de Guerra nas Estrelas. E Mayhew seguiu a risca. Logo de cara vale dizer que a história é bem diferente do que visão em EP IV – A new hope. Ele parece uma mistura da prequel com a trilogia clássica. Tem os elementos chave mas é contada de forma diferente. Não é nenhum e nem outro, nem uma mistura. Apenas uma vaga lembrança. Ou, talvez seja justamente o contrário. Eu até entendo que linguagem de cinema pede outra pegada, mas este roteiro original é muito legal e eu fiquei mesmo muito contente pela oportunidade de ler em quadrinhos. E este é apenas o primeiro volume.

The Star Wars 001-007Cabe alguma comparações curiosas: O Luke Skywalker é velho e é um General. Aliás a única coisa que tem com o Luke dos cinemas, é o nome e usar a Força. Nada além. Neste volume, ele tem aparência de ser mais velho  não tem parentesco com Darth Vader, que tem um visual um pouco mais afilado e não tem a necessidade fisiológica de usar a mascara e, aparentemente, não é o principal vilão da história. Um dos personagens principais é o Starkiller ( nome que seria aproveitado bem depois no game Star Wars The Force Unleashed, para o personagem principal, um clone poderoso ). E o nome dele é Anikin e não Anakin. Vale dizer que os personagens estão com nomes todos trocados. Han Solo é um alienígena verde gosmento, que lembra o Monstro do Pantano da DC, Chewie é um piloto e não é peludo. Os droids C3PO e R2D2 tem os mesmos nomes e a aparência é bem parecida com a atual, seguindo o traço original do Ralph McQuarrie, mas eles eram do império e depois vieram pro lado dos mocinhos meio por “acidente”. Existe uma princesa Léia, e existem os planetas. É como se o George Lucas re-aproveitasse todos os nomes e a essência da história e fizesse algo totalmente novo, trocando tudo, desde personalidades até fatos da história. Não é Star Wars, mas é Star Wars… um universo paralelo meio louco, algo assim. É divertido ficar dando uma de Capitão América e ficar procurando referencias… rs… Porque a gente fica, automaticamente, procurando referenciar aos filmes o tempo todo. E não passa de nomes de lugares e pessoas. Todo o resto não é igual. E isso é sim, legal.

swt1p5aAs frases também são outras. Ao invés de “Que a Força esteja com você“, agora é ” Que a Força dos outros esteja com você“. E não é explicado quem seriam os “outros”. O titulo original Jedi-Bendu é citado vez ou outra e é curioso ver que os Jedi e Sith tem a mesma cor vermelha nos sabres e os Stormtroopers também tem sabres, só que brancos. E isso é até meio inutil, já que eles mal sabem usar aquilo. O Império ainda está em Coruscant, na verdade ele é recém iniciado e está tentando conquistar mais e mais planetas e é aí que entra a resistência. Como disse, mesma história mas os detalhes estão todos trocados. É possível perceber pequenas seqüências que o GL aproveitou no filme final, mas não é mais do que isso. E Mayhew foi muito perspicaz ao desenhar alguns quadros na mesma perspectiva de câmera do filme no cinema, quando era permitido isso pelo roteiro. Tem muita idéia original muito boa nesta história que poderia ter sido aproveitada nos filmes. A impressão que eu tenho é que este roteiro era pra ser mais legal, e de repente, o GL pensou que poderia colocar um ou outro elemento mais incisivo da Jornada do Herói no meio, colocar a relação de pai/filho do Luke com o Darth Vader e outras coisinhas assim. Não acho que ele mudou pensando em marketing. Acho que os filmes contam uma história mais de cinema mesmo e este roteiro conta algo mais profundo e menos direto. Eu não saberia dizer também, já que não tive acesso ao roteiro original, o quanto Rinzler criou em cima do que o GL escreveu. Então, só posso comparar o que eu vi: Cinema e esta HQ.

The Star Wars2HQ’s permitem algumas narrativas que no cinema não ficaria bacana, e como um leitor das antigas eu pude perceber que isso foi bem adaptado pra publicação ficar mais legal. Não se trata apenas de seguir um roteiro original, mas de adaptá-lo para uma outra forma de contar uma história e é isso que acontece de modo muito competente. Então se a gente unir a idéia  do George Lucas, com a adaptação do Rinzler e os desenhos de Mayhew, temos uma revista que vale a pena ser lida.

Eu evitei entregar muita coisa, pode ficar tranquilo que o que eu contei aqui serviu apenas para dar um gostinho do que está na revista. E leve em consideração que é apenas o volume 1. Eu não sei quantos volumes ainda virão,mas sei que eu quero ler todos. Eu não leio muitas HQ’s de Star Wars porque as histórias costumam ser bem fracas ( ao menos ao meu parecer ). Se você considerar a imensa quantidade de publicações que saem, a gente não pode se dar ao luxo de perder tempo lendo coisas que não valem a pena o tempo gasto e por isso é preciso saber escolher o que vai ler. Separar o joio do trigo e ler o que te interessa e faz parte do seu gosto pessoal é importante. E é considerando isso que eu recomendo para o fã de Star Wars a leitura desta HQ, porque ela é mais Guerra nas Estrelas do que a Prequel. Segue muito mais a obra original em sua alma do que TPM, AofC e RotS. Tem um video no canal que a gente comenta um documentário do George Lucas e é onde a gente discute justamente isso. Se quiser, pode assistir aqui.

The Star Wars4E por falar em Guerra nas Estrelas, este mês tem JediCon dia 11 de outubro em São Paulo. Se você gosta da Saga, precisa ir. É simplesmente o maior e melhor evento de Guerra nas Estrelas em terras tupiniquins e por ser um evento de fã para fã, existe um respeito que eventos comerciais não tem. Sendo a 15ª edição, a galerinha caprichou muito, ainda mais considerando que é ano de filme novo. Este é sim, meus caros amigos, o ano de Star Wars. Sou suspeito, sou um grande fã da saga. Eu poderia escrever um post muito maior sobre este tema, mas não é este o caso desta análise.

Se você também gosta, compre esta edição e leia com tranquilidade. Tenho certeza de que vai valer a pena. Mesmo que você leia e não ache “tudo isso“, tenho certeza de que não vai se arrepender.

Abraços do Quadrinheiro Véio.

About The Author

Sou um leitor de Quadrinhos e fã de cinema desde que me entendo por gente. Minha primeira "revistinha" ganhei da minha mãe em 1983 e desde então não parei mais de ler. Portanto este é um blog de um cara que começou a ler HQs há mais de 30 anos e continua apaixonado por este universo !

Related posts