A História de Joe Shuster – Resenha

A História de Joe Shuster – O Artista por trás do Superman

Olá, Quadrinheiro.

Terminei uma leitura aqui que me deixou triste, feliz, assustado e maravilhado ao mesmo tempo. Um pequeno sentimento de revolta talvez, unido ao pensamento de que a sociedade está anos e anos distante do equilíbrio ideal. Equilíbrio este que pode nunca chegar, é verdade.

Mas o livro A História de Joe Shuster, de Julian Voloj e Thomas Campi chegou a mim por intermédio da minha amiga de game online, Fabiana Ferreira. Ela havia comprado, me comentou muito bem do livro e eu já estava bem curioso. Me emprestou, demorei pra ler, e ao ler, me surpreendi. Uma biografia em quadrinhos, exatamente como um mestre das HQ’s merece. 

História por trás da história dos Quadrinhos.

Sabe aquele segredos sombrios, sussurrados entre as pessoas quando ninguém pode afirmar ou confirmar nada ? Aquelas frases soltas, que sempre fui buscado não tocar no assunto nas rodas, com medo de represálias, ou mesmo, medo de ser realmente verdade ? Este livro traz isso pra gente. Saber como foi a história da criação de um dos maiores ícones de todos os tempos, é uma aventura digna. E pede coração forte. Ao menos, a meu ver.

Este livro conta a história de Shuster desde antes de nascer. Mostra sua origem super humilde, um judeu nascido no Canadá, de pai proveniente dos Paises Baixos e mãe Russa. Temos uma sequencia contada em primeira pessoa pelo próprio Shuster, baseada em histórias contadas por familiares, conhecidos, documentos e cartas. O mais bacana é que não parece apenas uma biografia do Shuster, mas como ele conheceu Jerry Siegel ainda na adolescência, boa parte do livro contempla a época em que ambos estavam juntos e eram amigos.

A vida não era simples pra eles. Tiveras seus problemas como qualquer pessoa e o surpreendente é o velho Shuster ter uma vida tão dura, chegando ao ponto de morar na rua, sendo criador de um personagem tão importante. O que fica muito claro segundo a biografia, é que os amigos Jerry e Joe não apenas criaram o primeiro e maior herói de todos os tempos, mas todo um gênero de quadrinhos, que depois viria a se tornar um gênero tão rentável em outras mídias, como cinemas, séries, livros e etc. Coisa que você provavelmente já notou.

Venderam o Superman por 130 dolares. Não perceberam isso de cara, que venderam os direitos vitalícios do personagem, e claro que a editora que comprou iria tirar proveito legal disso. Depois de muitos anos, conseguiram um bom acordo, mas ainda assim, uma vida injusta. Aliás, isso só prova mais uma vez o quanto as leis não são sempre justas. O que é certo continua certo mesmo que ninguém faça. O errado continua errado mesmo que todo mundo esteja fazendo. Demorou, mas a justiça prevaleceu sobre a lei. Injusto demais que criadores de algo tão lucrativo passassem as dificuldades que passaram.

Enfim…

Julian Voloj fez uma boa pesquisa e foi bem responsável ao escrever a história. Sensato, soube dar uma velocidade e profundidades nos momentos certos. O desenhista Thomas Campi tem um estilo artístico muito bonito, pintura diferenciada, leve, quase uma brisa. Expressões bem feitas, quadros e referências, cores… tudo equilibrado e contando uma boa história como se deve. Italiano, mora na Austrália, tem alguns prêmios na mochila. 

Complementando a história, e talvez historicamente a parte mais importante do livro, tem as notas dos editores nas páginas finais do livro. É legal demais saber de onde vieram algumas informações narradas na história, copias dos originais de alguns documentos, datas, e etc… eu adoro este tipo de coisa.

Acho que todo fã de quadrinhos, principalmente HQ’s de heróis, deveria conhecer a origem do gênero que ama. Entender que nem tudo são flores e que bastidores costumam ser sujos e cheios de suor, lágrimas e gritos. Leia este livro. É da editora Aleph, que sempre nos presenteia com ótimos livros de ficção.

Depois passa no canal, que vai ter vídeo por lá também.

Abraços do Quadrinheiro Véio !