Embarque no mundo geek com seleção de livros da Estante Virtual

Curadoria reúne obras geeks, inclusive “Raízes do mal”, livro recém-lançado sobre a série Stranger Things

O dia 25 de maio é uma data importante para a comunidade geek. Também chamado de Dia da Toalha pelos fãs de “O Guia do Mochileiro das Galáxias”, a data passou a ser considerada o Dia do Orgulho Nerd após os fãs notarem que a primeira vez que o filme foi exibido nos cinemas também ocorreu em um 25 de maio. Pensando nisso, a Estante Virtual (www.estantevirtual.com.br), portal de livros que reúne diversos sebos e pequenas livrarias de todo o Brasil, preparou uma seleção com 75 obras para entrar no clima dessa data especial e aquecer os leitores para a nova temporada da série Stranger Things, que estreia 4 de junho na Netflix.

“Essa é uma curadoria feita especialmente para os fãs e admiradores do universo geek. Como há títulos que custam a partir de R$ 4,00 (quatro reais), é uma grande oportunidade para quem deseja aumentar as coleções de quadrinhos e livros das sagas”, comenta Erica Cardoso, gerente de Marketing da Estante Virtual.

O destaque da seleção é o primeiro livro oficial da série Stranger Things, que foi lançado recentemente. “Stranger Things – Raízes do Mal”, escrito por Gwenda Bond, explora o passado de dois importantes personagens enigmáticos da produção: Terry Ives, a mãe de Eleven, e o dr. Martin Brenner, o homem que separou as duas. A obra é encontrada na Estante com preços a partir de R$ 31,00 (trinta e um reais

“O Guia do Mochileiro das Galáxias”, de Douglas Adams, sai a partir de R$ 8,00 (oito reias) na Estante Virtual. A obra encanta gerações de leitores ao redor do mundo com seu humor afiado ao contar as aventuras espaciais do inglês Arthur Dent e de seu amigo Ford Prefect pelas galáxias. Ainda nesse contexto de espaço sideral e universo, o livro “Os Filhos de Odin”, de Padraic Colum, mostra a origem das histórias dos personagens fatídicos Odin, Thor e Loki; onde Asgard foi construída; e o que estava escondido durante o Ragnarök, o Crepúsculo dos Deuses. O título está à venda na Estante por R$ 12,00 (doze reais).

Vencedor de renomados prêmios da ficção científica “Encontro com Rama”, de Arthur C. Clarke, narra a história de uma terrível colisão de um meteorito contra o continente europeu e faz com que a humanidade una esforços para evitar que catástrofes dessa natureza voltassem a acontecer. O livro sai por R$ 15,00 (quinze reais) na Estante Virtual. Outro que faz sucesso com o público é o “Jogos Vorazes”, de Suzanne Collins. Esse é o primeiro livro de uma trilogia que conta a história da nação Panem, formada por 12 distritos. A Capital, cidade sede do governo, demonstra seu poder sobre a população dos distritos através dos Jogos Vorazes, uma competição anual onde dois jovens de cada distrito são selecionados e obrigados a lutar até a morte. É possível encontrar a saga por R$ 5,00 (cinco reais) na Estante Virtual.

A lista geek completa pode ser conferida no site da Estante Virtual.

Criada em 2005, a Estante Virtual acabou de ultrapassar a marca de 22 milhões de livros vendidos em todo o País. É o mais democrático e-commerce brasileiro de livros, sendo reconhecida por exaltar a literatura e a arte brasileira. Com mais de 5 milhões de leitores cadastrados e 2.600 livreiros em sua rede, a Estante Virtual comercializa livros novos, seminovos e usados, em um acervo que já soma cerca de 18 milhões de livros.

Abraços do Quadrinheiro Véio !

Origem – Dan Brown

Origem – Dan Brown

Olá Quadrinheiro

Bom, talvez, não seja bem quadrinheiro, mas um bom leitor de livros se você chegou a esta resenha.

Sou um dos fãs de carteirinha dos livros do Dan Brown, então quando ORIGEM foi lançado, eu tive que comprar ele no próprio dia do lançamento. O sétimo livro do autor, e o quinto com Robert Langdon chegou às livrarias esta semana e preciso te dizer: Vale cada segundo emocionante e impressionante de leitura ! 

Mesmo estilo, mesma estrutura, reflexões e debate diferente.

Dan Brown é um típico autor que não joga pra errar. Ele descobriu sua fórmula e a aplica sem dó. Você sabe que seus livros vão ter Robert Langdon involuntariamente caindo de paraquedas no meio de uma aventura. Que ele vai estar acompanhado de uma mulher. Que ele vai ter que correr por vários pontos maravilhosos de cidades, sempre no meio de arte ( seja clássica, seja moderna ). Em algum momento ele vai fugir da polícia, o tempo vai ser fator determinante de algo. Alguém vai morrer. O vilão é dúbio até se revelar ao final. Vai ter código. Vai ter virada surpreendente. Vai ter laranja do bandido.

Mas vai ter seeeeempre: Um tema forte, polêmico. Daqueles que você fica balançado, pendendo pros dois lados. E desta vez nosso heróico protagonista vai ser engolido pela evolução tecnológica, ao mesmo tempo que um debate entre tradicionalismo e modernismo se desenrola, numa das melhores histórias de conflito e enfrentamento de Ciência versus Religião.

Onde ? Quando ? Arte ?

A trama deste livro é tão envolvente, tão estilosa e cuidadosa, que você percebe que o começo o livro é feito pra te amarrar, se irrita com isso, mas ao mesmo tempo não consegue largar o livro. Comecei a ler na sexta-feira a noite e domingo na hora do almoço já estava sepulcramente pensativo enquanto almoçava ao lado da minha esposa. Muito pensativo, muito reflexivo: E se o que o livro trouxe realmente acontecesse ? Como ficaria o mundo ? Como EU ficaria ?

Langdon desta vez está na Espanha, passando por cidades como Bilbao, Madri e Barcelona. Desta vez mais focado em arte moderna, que ele mesmo admite não entender muito bem, ao mesmo tempo que nos fala de artistas como Galdri, suas loucuras arquitetônicas como a casa Milá e a Sagrada Família e mais um monte de outros artistas, seja como referência, seja aprofundando.

Qual é a trama ?

Basicamente, um ex aluno e atual futurista bilionário e gênio intelectual/científico do Bob Langdon aparece dizendo que tem uma descoberta que vai abalar profundamente o mundo todo. O cientista revela que finalmente conseguiu a resposta para as duas perguntas fundamentais que movimentam a humanidade: “De onde viemos ?” e “Para onde vamos ? “. Com direito a muito futurismo, tecnologias muito avançadas, seitas fundamentalistas, teorias da conspiração, muita aula de arte e questionamentos morais, Dan Brown conduz magistralmente o mistério até nos brindar com um inteligente final onde dificilmente somos capazes de deduzir a real participação de cada personagem antes do momento que ele deseja. A gente até desconfia, mas é realmente difícil ter certeza.

Com mais de 420 páginas, o livro lançado no Brasil pela editora Arqueiro simultaneamente com o mundo todo, é um novo Dan Brown misturado com um Velho Dan Brown. É como re-encontrar um amigo. Espero que continue sempre assim.

Recomendo fortemente !

Abraços do Quadrinheiro Véio

A Vida de Luke Skywalker – Resenha do Véio

Uma Nova Esperança: A Vida de Luke Skywalker

Quando eu peguei estes dois livros pra ler, tanto A Origem e a Lenda de Obi-Wan Kenobi, quanto A Vida de Luke Skywalker, eu pensei que por serem Legends, poderiam ser leituras meio “perdidas“. Fico feliz em te dizer que não foi. São leituras muito prazerosas e extremamente interessantes. É uma pena, é muito lamentável que tanta coisa boa se tornou “não oficial“, muito se perdeu em termos de boas histórias e boas origens com a conversão da Lucasfilms para a Disney. A nossa sorte é que mesmo não sendo mais cânone, ainda podemos ter acesso às mesmas, já que a Disney teve o bom senso ( e a inteligência comercial, claro ) de manter as publicações ainda disponíveis pra que possamos ainda assim ter acesso à uma época mais mágica.

É muito natural a mudança de estilo literário com o passar dos tempos. As épocas e as pessoas evoluem, mudam. E nisso, os estilos de redação, os objetivos de criação, e até os formatos de apresentação das histórias também mudam. Assim como o cinema, muito do fantástico torna-se exagerado. A imaginação das pessoas torna-se limitada e não se permitem aceitar muitas coisas que eram aceitas e divertiam a não muitos anos atrás.

Vamos ao livro

A Vida de Luke Skywalker

Este livro que estou resenhando aqui neste post de hoje é um caso curioso. Embora seja um livro relativamente recente, 2008, Uma Nova Esperança: A vida de Luke Skywalker carrega uma “levada” adequada ao começo dos anos 90. Ele consegue fazer com que o fã de Star Wars dos anos 80 consiga gostar da forma com que o herói é abordado. Ao mesmo tempo, atualiza com os fatos da trilogia prequel sem se aprofundar, e nos leva a momentos da vida do Luke que a gente não conhecia, mas que adoraria conhecer.

Ele entra entre os filmes, esmiuça a mente do herói clássico tão fielmente criado à risca bebendo da fonte de Campbell, que é possível realmente aceitar a busca do jovem Skywalker por mais informações sobre seu pai após a sua morte. Porém, pra dar embasamento à sua trajetória e escolhas, o autor soube dosar momentos do passado, pensamentos e a formação do caráter do personagem, para dar fundamento em sua busca ao mesmo tempo que precisa até mesmo enfrentar sua irmã, que não nutre a mesma curiosidade que Luke, enquanto ele fielmente pesquisa seu passado, o passado de seu pai, e dos Jedi.

De dentro do novo cruzador da nascente Nova República, batizado como “Nova Esperança“, Luke faz toda a sua pesquisa, relembra, reflete. Este livro tem muitas referencias a muitos outros livros também. Ele é todo bem amarrado. Se considerar a quantidade de histórias anteriormente contadas, isso foi muito necessário e inteligente. Este livro é de 2007, mas a

Universo dos Livros relançou agora em 2017. E sou muito grato. 

Já li muitos livros de Star Wars em inglês, principalmente no final dos anos 90, já que eram poucos traduzidos pra cá. E te digo, não é uma questão (apenas) de preguiça. É mais fluído ler na sua língua mãe, mesmo que haja perdas na tradução. E esta ficou muito boa.

De quem é o livro ?

Da mesma forma que o livro que resenhei anteriormente, sobre a Vida de Obi-Wan Kenobi ( leia resenha aqui ), Ryder Windham mostra que pesquisou, que é fã e tem fluência na sua sequencia de história. Ele escreveu mais de 60 livros de Star Wars, incluindo o best seller Star Wars: The Ultimate Visual Guide. Como trabalha com Star Wars diretamente desde 1983, o cara tem um conhecimento enorme sobre as linhas do tempo do universo criado por George Lucas e com isso, mantém uma consistência em sua escrita que se fez conforme procurava sempre manter em mente as relações entre os personagens em diversos momentos. Assim, raramente acontecia uma incoerência em suas histórias.

Uma Nova Esperança: A Vida de Luke Skywalker é um livro que eu gostei muito. Não tenho cacife pra dizer se é melhor ou pior do que o livro do Obi-Wan. Apenas posso dizer que é diferente e não tem aqueles momento que mostram o personagem no meio do filme. Não é um livro biográfico como o outro, mas é um livro muito, muito divertido. Ainda me falta ler o terceiro, a Ascensão e Queda de Darth Vader. Mas espero ter acesso a ele logo, logo.

Recomendo !

Abraços do Quadrinheiro Véio !

Conheça o canal do YouTube: YT.com/oquadrinheiroveio

Livro: As Filhas de Selene, de Danielle Sampol – Book Review

Livro: As Filhas de Selene, de Danielle Sampol – Book Review

Oi Quadrinheiro !

As Filhas de Selene
  Capa do Livro – As Filhas de Selene

Inaugurando uma nova “ala” no blog, farei eventualmente resenhas de livros. E este primeiro é do livro “As Filhas de Selene“, da escritora Danielle Sampol. Basicamente um livro de monstros clássicos, os apaixonantes lobisomens ? Não e sim. Não é básico, e sim, apaixonantes lobisomens.

Resumindo um pouco: Vila Sant’Anna tem alguns moradores peculiares. Reune uma população pequena, mas ao mesmo tempo, com alguns segredos. A chegada de uma menina estrangeira, Patrizia, começa a trazer a tona alguns destes segredos. Patrizia e sua amiga Lola são meninas amaldiçoadas por Selene. Uma maldição que tem algumas coisas positivas. Ao mesmo tempo, alguns lobisomens que são duplamente amaldiçoados começam a aparecer por lá, e magicamente, tem uma ligação absurda com estas meninas, Selenitas, ou filhas de Selene. E a trama se desenvolve por aí. Com altos e baixos, subtramas, diálogos e dramas adolescentes, o livro tramita gostosamente com tudo que uma cidade pequena tem de bom pra jovens que ainda estão descobrindo a vida.

Autora Danielle Sampol - As Filhas de Selene
Autora Danielle Sampol – As Filhas de Selene

Eu recebi o convite da própria autora para ler o livro. Fiquei muito contente. Embora seja um leitor inveterado de HQ’s, eu também amo ler livros. Tenho por hábito ler muito, sejam livros profissionais, sejam para lazer. E eu fiquei meio ressabiado ao receber um livro de uma autora brasileira sobre seres fantásticos como lobisomens. Mas ao mesmo tempo, fiquei curioso. A Dani não é uma autora convencional, então eu já sabia que não seria uma leitura com um retrato “fofinho” dos monstros clássicos da literatura universal. Embora seja o primeiro livro da Dani que eu tenha lido, sei que não é seu primeiro trabalho. A Danielle tem mais 4 ou 5 livros publicados antes e o amadurecimento é visível. 

Selenitas, lobisomens, cidade pequena.

A leitura tem um bom caminhar, tem ritmo constante e embora o começo do livro seja meio “enroladinho“, quando a gente prossegue a melhora é enorme. Ela sabe anunciar os mistérios e sabe ir esclarecendo-os à medida que a narrativa pede, nos momentos certos. Assim te prende na leitura. Eu sentia duas coisas ao ler o livro: Não queria largar o livro e não queria que o livro acabasse logo. As mais de 400 páginas fluem deliciosamente, sem enrolação com cenas mais detalhadas alternadas com cenas mais corridas. Ao mesmo tempo que alguns momentos são bem detalhados, lentos e demorados, temos uns pulos na história que deixa a gente achando que pulou alguma pagina no meio. Mas não, ela esclarece isso no caminhar da leitura.

É um livro com uma “pegada” feminina. Acho que os meninos vão gostar, mas a identificação é mesmo para as garotas. Isso não é nenhum defeito, é muito legal. Tem romance, amor, paixão. Mas ao mesmo tempo, é pra menina mais moderna e menos sonhadora, pois tem ação e sangue, violência e ferocidade. Os personagens são fieis ao seu perfil de comportamento e os clichês que percebemos na leitura são mais comportamentais do que arquetípicos. Particularmente eu prefiro assim. A maturação da “heroína” Patrizia tem a levada clássica da jornada do herói, o que eu particularmente amo !

É um livro de mistério. Toda a trama principal do livro é desvendada no final, mas muito espertamente, quando a leitura começa a se findar, uma subtrama maior começa a dar sinais e mesmo antes de terminar o livro, você já sabe que vai vir uma continuação aí. E eu posso dizer que estou curioso pra ler o que mais acontecerá com a turminha de Vila Sant’Anna. A gente se torna intimo deles, odeia e adora alguns, mas começa a senti-los como conhecidos.

Recomendo a leitura, e se no começo você ficar meio incomodado e pensar em largar, persista. Vale muito ! Pode encontrar ele na Amazon aqui !

Abraços do Quadrinheiro Véio !