PB – Problemas Brasileiros – Edição Especial

PB – Problemas Brasileiros – Edição Especial

Recebi aqui a edição especial da Revista PB – Problemas Brasileiros com formato de Quadrinhos. É a edição de set/out de 2019. E embora seja uma publicação que exista desde 63, eu não a conhecia ainda. A Revista PB se propôs a criar uma forma de falar sobre política utilizando a linguagem dos quadrinhos. Nunca tentativa de atrair um publico que não goste muito de política e pra tentar levar estes temas e matérias pra quem curte comics. Vale mencionar que a Revista PB venceu a etapa regional (São Paulo) do Prêmio Aberje na categoria Publicações e é finalista da premiação nacional. 

Em circulação desde em 1963, a revista traz reportagens que refletem as transformações do País nas áreas de política, economia, gestão pública, educação, saúde, cultura, comportamento, meio ambiente e inovação.  Com um acervo de mais de 450 edições, procura ouvir especialistas do cenário nacional, bem como retrata anônimos que protagonizam a história brasileira do dia a dia. A revista tem circulação bimestral e tiragem de 15,5 mil exemplares.

Politica em Quadrinhos.

Eu não sei… acho que o publico de política é um publico diferenciado. Quem curte política não precisa que seja em forma de quadrinhos. E quem lê quadrinhos, não é muito de curtir quadrinhos só porque é uma HQ.  Eu não conheço o publico da revista, mas acho que não é um publico que aprecia quadrinhos e não acredito que o formato possa atrair leitores diferentes do que a revista já tem. O editorial é o que conta na maioria das vezes e não apenas a forma. E nem todo mundo tem cabeça e coração abertos quando o tema é política. Ainda mais problemas… Problemas Brasileiros. E a gente sabe que temos.

A primeira matéria, que é a principal, traz uma entrevista com 10 novos deputados eleitos, que não eram políticos de profissão antes e estão começando suas carreiras em Brasilia. Falam sobre renovação. Mas não sei se pela falta de experiência ou mesmo pelo tema ser meio cabeludo, acho que a linguagem não encaixou bem no formato de quadrinhos. A arte é bonita, preto e branco com contraste forte, não caricata, e nem no estilo comics. Busca uma realidade na forma e expõe o que parecem ser trechos escolhidos de entrevistas e, pelo tom das exposições, a revista não se mostra imparcial, uma vez que a opinião da entrevistadora aparece nas entrelinhas do que é contado. Não vou entrar no conteúdo, porque não é bem o caso. Acho apenas que a transição para os quadrinhos não ficou tão boa, acho que faltou algo. Ficou no meio, nem quadrinhos, nem texto. Me pareceu forçado. Eu não conheço os responsáveis pelo projeto e por isso, não posso afirmar se conhecem ou não sobre quadrinhos, sobre linguagem de quadrinhos. Mas o resultado ficou com a impressão de ser algo feito por quem não conhece bem de quadrinhos, mas tentou adaptar… sabe ? A revista é competente, mas a transição, ficou meio amadora.

A revista é grande, tem 48 páginas, papel reciclato de boa qualidade e gramatura. Traz texto e opinião também.

O que eu concluo é que não consigo avaliar se o formato funciona para um publico de quadrinhos, mas esta edição não me foi muito atrativa. Acho que temas como política funcionam melhor quando são base de construção de uma história e não foco principal. Penso que a leitura completa das entrevistas com os deputados, por exemplo, traria mais interesse do que a forma aparentemente superficial e resumida que a edição trouxe e isso se torna até um pouco cansativo de ler até o final. A iniciativa é ótima, gosto de tudo que é inventado de novo. Acho que o caminho é legal, é inovador. Talvez a forma que tenha sido feita é que precise ser repensada.

A distribuição é em bancas e lojas especializadas ao preço de R$ 15,90 e o projeto pertence ao Fecomercio ( www.fecomercio.com.br )

Abraços do Quadrinheiro Véio.