segunda-feira, 18 de junho de 2018

Wolverine Origem

Olá Quadrinheiro !! Wolverine Origem

wolverine origemObrigado por ter a oportunidade de dividir com você a minha percepção sobre minhas leituras. Sei que leio muito de tudo a muito tempo, mas nem por isso consigo acompanhar tudo que é lançado. Mesmo assim, vou procurar sempre que possível, narrar aqui esta “paixão” que sinto pelos heróis. E a “bola” da vez é o mutante atarracado canadense, que teve a sua origem relevada em Wolverine Origem. A edição que irei comentar aqui no blog hoje é a que eu li na Coleção Oficial de Graphic Novels da Editora Salvat. Coleção esta que eu recomendo fortemente, pela qualidade e seriedade que a editora já demonstrou ter pelos seus clientes. ( Lembrando que esta editora não me paga UM CENTAVO sequer pra falar bem dela… mas bem que poderia me mandar umas edições para analisar… hehehe )

Wolverine Origem é desnecessária. Sério, na boa. Poderia ser um “What if” semwolverine origem maiores dores na consciência. É que nem Midi Chlorians em Guerra nas Estrelas ( Star Wars ). Vem pra responder uma pergunta que ninguém ousava fazer em voz alta, por medo de alguém tentar responder e falar alguma besteira. Pois é… alguém foi lá e fez. Sei que isso parece coisa de velho ranzinza e entendo que comercialmente algumas coisas são necessárias. É que na opinião deste “Véio que vos escreve“, a arte e narrativa sempre estarão na frente. E colocar isso como obra definitiva não quer dizer que é boa. Ter sido a revista mais vendida de 2003 não significa que seja algo bom, significa apenas que muita gente tinha curiosidade. A coisa é tão “estranha” que pouco se comenta sobre ela. Passa batido… origem que não precisava ser explicada. ( repito tantas vezes a mesma coisa, em palavras diferentes, que aposto que você está se sentindo lendo a um verbete do Aurélio ). E o Véio rabugento ataca novamente !! hahaha

Vamos lá, pode ser que apareçam alguns Spoilers durante o texto a seguir, ok ? Leia por sua conta e risco.

4cb1054d599fcA historia começa na infância do Logan e é dado a ele o nome de James. Tipo… James. Um garoto super bem cuidado, com uma infância feliz e alegre, superprotegido pelo pai e filho de uma mãe maluca. No meio do caminho, acontece uma tragédia entre ele e o filho do Jardineiro, este sim de nome Logan e o nosso herói acaba o matando com suas recém descobertas garras de ossos. Até aqui vemos que tudo vai se apoiando em uma historia mediana em cima da outra. Primeiro ao se apoiar na descoberta de que o Wolverine já tinha garras de ossos quando foi colocado o Adamantium, conforme foi revelado logo após o Magneto tirar o Adamantium dele em Fatal Atractions. Quando a gente vai ficando mais velho e de repente alguém vai lá e muda todo um passado de um personagem que você le a mais de 10 anos causa sim alguma estranheza pra se adaptar. Até este episódio da perda do Adamantium, era sabido que o Carcaju havia recebido aswolverine origem garras pela ciência no momento do implante do Adamantium. E de repente, ele descobre que tem ossos em forma de garras. Até aí, ok. Eu posso não ter gostado, mas entendo que estas adaptações fazem parte de uma linha editorial que precisa inovar e reinventar o personagem o tempo todo para garantir mais e mais vendas e a editora sobreviver… mas ainda assim, acho que ficar mudando origem é muito forte e pode macular essencialmente um determinado herói. Wolverine é mais forte do que seus editores, já que sobrevive a isso. Logo vemos que seu fator de cura vai além do corpo e se estende as HQs. Alguns personagens parecem sobreviver da consideração dos leitores que o conhecem de muito tempo. Porque ultimamente anda difícil dizer que o Wolverine é um personagem foda muito bom, lendo os materiais atuais e dos últimos anos. Isso é uma pena… me faz temer pelo futuro do mesmo. A revista atual dele em Marvel Now! está muito lixo, fraca demais… boba demais. Será que as editoras pensam que os novos leitores são tão superficiais e bobos como os argumentos atuais sugerem ? Viu como estou ficando ranzinza ?

4cbf36c9234cdEm seguida nosso amigo foge e vemos uma mudança sem explicação, daquela criança frágil e medrosa se tornando o “bicho bravo” que é hoje. A gente fica sem entender se é por instinto ou outro motivo, já que o simples fato de apanhar de um gordão o tempo todo na revista não me parece algo que faria este efeito. O mesmo quando ele começa a viver mais com lobos do que com as pessoas. Acho que deve ser pelo instinto mutante dele, por ser mais fera que homem em alguns momentos. Mas a meu ver não se justifica a mudança assim, apenas por acontecer. Entretanto, após um começo que eu não gostei muito e um “meio” morno, temos uma sequencia no final que faz valer a compra da edição. Não pelo seu fator histórico canônico, que isso é ruim mesmo, mas pela historia pela historia.

Acho que a parte psicológica ficou muito fraca… não convence. O personagem quewolverine origem conheci nos anos 80/90 era mais forte e menos traumatizado. O Wolverine de “Origem” é muito frágil e até meio burro. Não diria nem inocente, mas muito manipulável e traumatizável demais. Você pode até dizer que é porque era ele no começo da vida, ainda não tinha toda a vivencia que ele tem mais adiante na vida, que é uma historia de origem, que vem humanizar o personagem, mas ainda assim eu te digo que historias de super-heróis precisam ser mais heroicas e menos “novela das oito“. Deixem as humanizações para os filmes e séries, nas HQ’s coloque heroismo do bom e do melhor. É o que eu digo… rs… Parece algo meio inflexível e exagerado, mas se você retornar e pensar em todas as HQ’s que você realmente gostou em todos os anos anteriores ao meio dos anos 90, vai perceber o que estou dizendo. E vai perceber que os grandes clássicos estão neste período também. Alguns personagens que são introduzidos parecem interessantes, como o Cão ( que lembra bem o Dentes de Sabre ) e seu pai Logan ( a-ha !! Eis de onde veio o nome que Wolverine adotou pra si, com um motivo bem esdrúxulo), que até fica meio “subentendido”que estava de caso com a mãe do garoto e é sem pinta de dúvida seu pai verdadeiro, a julgar pelo cabelo. Não adianta brigar comigo, eu avisei lá em cima que haveria spoilers aqui.

O traço é bom, Andy Kubert é um grande desenhista e sabe colocar emoção nos quadros. Basta analisar os olhares dos personagens, as posições de “câmera“, o movimento das lutas e a intensidade com que faz a gente sentir as “porradas”. Parece mesmo que estão doendo pra valer. Toda a coloração é como uma pintura, com sombras, nuances que lembram mesmo aquarela e traços de lápis de cor. Bonito de se ver, agradável de ler. Richard Isanove ( dito cujo que eu nunca havia ouvido falar ) é quem assina a pintura digital da edição. O roteiro é do Paul Jenkins que pra mim ficará marcado como ” O-cara-que-contou-a-historia-que-ninguém-precisava-saber-e-ainda-fez-mal-feita“.

Apesar dos pesares, recomendo a leitura. Acho que se você é fã do Wolverine, deve saber apagar da sua cabeça esta Wolverine Origem e ainda assim conseguir ser feliz.

No próximo post eu comendo sobre a continuação desta historia, muito mais bem escrita, em Wolverine Origem II.

Abraço do Quadrinheiro Véio !

FACEBOOK

About The Author

Sou um leitor de Quadrinhos e fã de cinema desde que me entendo por gente. Minha primeira "revistinha" ganhei da minha mãe em 1983 e desde então não parei mais de ler. Portanto este é um blog de um cara que começou a ler HQs há mais de 30 anos e continua apaixonado por este universo !

Related posts

2 Comments

  1. Pingback: Wolverine Origem 2 - oquadrinheiroveio.com.br

Comments are closed.